Pular para o conteúdo principal

Seminário "Direito dos Povos Indígenas é realizado hoje na Faculdade de Direito da UFMG

O Instituto Imersão Latina, e a Frente de Apoio à Causa Indígena participam hoje do Seminário "Direito dos Povos Indígenas na atualidade", no auditório Maximum Adeodato na Faculdade de Direito da UFMG, Avenida João Pinheiro nº100, Centro de Belo Horizonte.

O Seminário é uma iniciativa do Conselho Indigenista Missionário- CIMI e o Grupo de Estudos de Direito Indígena da UFMG- GEDIN, com apoio do Centro Acadêmico Afonso Pena - CAAP e a Comissão Pastoral da Terra- CPT.

De acordo com Caromi Oséas da CIMI Leste e integrante do GEDIN, espera-se que o seminário possibilite uma proposta de fortalecer o comitê mineiro de apoio a causa indígena, pra que seja um espaço comum de debate. Aglutinar todo esse povo e entidades que estarão presentes no seminário e dar continuidade a essa iniciativa, planejar ações, denunciar, e principalmente ajudar os povos de minas nessa luta diária e sofrida.


PROGRAMAÇÃO

08h00min- Abertura

08h30min - Primeiro Painel: Violação dos Direitos Humanos;

(Eduardo- Cimi, representante Indígena, José Luiz Quadros e Heloísa Greco- IHG)

10h30min- Segundo Painel: Judicialização das demarcações de terra;

(representante do Cimi, Avelin Rosana, conselheira do Imel e integrante do Comitê Mineiro em Defesa da Causa Indígena.representante Indígena, Pedro Andrade- ASF e Delze Laureano)

12h30min- Intervalo;

14h00min- Terceiro Painel: Políticas Públicas de Saúde e Educação;

(Benedito Prezia- Cimi, Eliana-Indígena, Mario- GVC)

16h00min- Quarto Painel: Sustentabilidade e Meio Ambiente.

(representante Indígena, Alexandre-CPT, Rogério Duarte-UFMG, Frei Gilvander- Comitê Mineiro Contra Agrotóxicos)

Informações:
3481-1181
caromi.oseas@gmail.com


Contexto do Seminário e Objetivos

Ao examinar a conjuntura indigenista brasileira nos últimos anos, salta aos olhos a intensificação de campanhas contra os direitos indígenas.
No ano de 2013 o foco central permanece na economia como meio e fim na estratégia governamental de inclusão social. A concepção do modelo em curso sugere a inclusão via mercado. Já não se trata de um modelo de transformação, com reformas estruturais, mas de aderência à lógica produtivista-consumista e mitigação da pobreza através de programas e políticas sociais compensatórias.

Temas estruturantes do social como saúde, educação, saneamento, moradia, reforma agrária, demarcação de terras indígenas, questão ambiental, entre outros, fazem parte da retórica discursiva-política, mas não se traduzem em políticas efetivas de governo.

Na avaliação dos defensores dos direitos indígenas, a razão por haver um retrocesso das políticas indigenistas, inclusive quanto à demarcação, está na opção pelo modelo desenvolvimentista para o campo e para as florestas adotado pelos governos nesta última década.

Diariamente acompanhamos uma chuva de investida contra os direitos indígenas, sobretudo a invasão de seus territórios, especialmente pelo próprio Governo Federal com seus investimentos cada vez maiores em obras como as do PAC.

Depois das graves violações aos Direitos Humanos sofridos pelas comunidades indígenas durante a Ditadura Militar, houve uma tomada de consciência desses povos no sentido de se reconhecerem enquanto sujeitos de direitos com suas devidas especificidades, uma vez que sua cosmovisão se diferencia da não indígena.

Na Constituinte, tiveram um papel fundamental na construção de um capítulo próprio, que assegurasse sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam.

Apesar dos avanços conquistados, o modelo econômico e social pensado pelos indígenas vai de encontro aos modelos de desenvolvimento econômico adotados pelos governos que se seguiram, levando à flexibilização dos direitos específicos desses povos.

O Seminário pretende debater as causas e consequências dessa flexibilização, e será dividido em quatro grandes eixos,  propondo um diálogo entre os ouvintes e os palestrantes a respeito dos pontos mais polêmicos. Quais sejam: Violação dos Direitos Humanos; Judicialização das demarcações de terra; Políticas Públicas; Sustentabilidade e Meio Ambiente.

Este seminário tem como objetivo geral propiciar um espaço de debate e reflexão contando com a presença de representantes das comunidades indígenas, para promover um intercâmbio destes com a comunidade acadêmica e os demais interessados na causa.

E ainda, como objetivos específicos, pretende:

- Promover novas discussões acerca da questão indígena e o Direito, tanto no meio acadêmico, quanto na sociedade, adotando uma visão multidisciplinar inerente à área;
- Desmistificar a visão historicamente construída que se tem do índio;
- Apresentar através dos próprios atores a sua realidade;
- Aprofundar a reflexão sobre o papel do Estado e da sociedade frente esta problemática;
- Evidenciar como certas políticas socioeconômicas podem afetar negativamente a vida desses povos;
- Demonstrar a importância da preservação da identidade e cultura indígena como parte integrante da formação da identidade brasileira;
- Incentivar atividades de pesquisa e extensão direcionadas à temática;
- Possibilitar o contato entre os interessados pelo tema, viabilizando a troca de experiências entre estudantes, profissionais da área e indígenas de diferentes povos de Minas Gerais;
- Divulgar as atividades realizadas pelo Grupo de Estudos em Direito Indígenas- GEDIN.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…