Pular para o conteúdo principal

Convocatória: II FORUM SOCIAL TEMÁTICO: Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental


II FORUM SOCIAL TEMÁTICO
Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental
27 a 31 de janeiro de 2014 - Porto Alegre e Região Metropolitana


CONVOCAÇÃO

CONVOCAMOS À TODAS AS ORGANIZAÇOES E MOVIMENTOS SOCIAIS PARA A 1O PLENÁRIA DE ORGANIZAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DO QUE SERÁ REALIZADA DIA 22 DE ABRIL, AS 18hs30m NO AUDITÓRIO DO MEMORIAL DO RIO GRANDE DO SUL

PAUTA:
1.    Informes do FSM2013 na Tunisia
2.    Proposta de Programa do II FSTemático2014;
3.    Estruturação do Comitê de Organização Local
4.    Calendário de Reuniões e Atividades

Comitê de Organização Local

MANIFESTO DE CONVOCAÇÃO

O Fórum Social Mundial é um espaço aberto de encontro para o aprofundamento da reflexão, o debate democrático de idéias, a formulação de propostas, a troca livre de experiências e a articulação para ações eficazes, de entidades e movimentos da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo, e estão empenhadas na construção de uma sociedade planetária orientada a uma relação fecunda entre os seres humanos e destes com a Terra.

O Fórum Social Mundial é um processo de caráter mundial. Todos os encontros que se realizem como parte desse processo têm dimensão internacional.
O Fórum Social Mundial reúne e articula somente entidades e movimentos da sociedade civil de todos os países do mundo, mas não pretende ser uma instância representativa da sociedade civil mundial.

Os encontros do Fórum Social Mundial não têm caráter deliberativo enquanto Fórum Social Mundial. Ninguém estará, portanto autorizado a exprimir, em nome do Fórum, em qualquer de suas edições, posições que pretenderiam ser de tod@s @s seus/suas participantes. @s participantes não devem ser chamad@s a tomar decisões, por voto ou aclamação, enquanto conjunto de participantes do Fórum, sobre declarações ou propostas de ação que @s engajem a tod@s ou à sua maioria e que se proponham a ser tomadas de posição do Fórum enquanto Fórum.

Ele não se constitui portanto em instancia de poder, a ser disputado pelos participantes de seus encontros, nem pretende se constituir em única alternativa de articulação e ação das entidades e movimentos que dele participem.

O Fórum Social Mundial é um processo que estimula as entidades e movimentos que dele participam a situar suas ações, do nível local ao nacional e buscando uma participação ativa nas instâncias internacionais, como questões de cidadania planetária, introduzindo na agenda global as práticas transformadoras que estejam experimentando na construção de um mundo novo solidário. (TEXTO DA CARTA DE PRINCÍPIOS DO FSM)

Momento Político

Ainda temos muitos motivos para lutar. A crise internacional do sistema capitalista chega ao seu auge com a desestruturação das economias dos países europeus e da retirada constante de direitos sociais de seus trabalhadores e trabalhadoras. Como parte deste processo de crise mundial há uma profunda crítica a capacidade de representação dos anseios políticos por parte dos partidos, inclusive dos partidos de esquerda. Este dois fatores colocam a sociedade civil internacional em alerta para possíveis retrocessos da agenda democrática mundial. A crise política e social não se arrefeceu desde 2012.

Na América Latina, apesar dos esforços de vários governos nacionais a estrutura econômica e social que provocam as profundas desigualdades permanecem intactas. Os governos norte-americanos, independente do viés democrata ou republicano, mantém a política de dominação e subordinação econômica e militar sobre o continente. Utilizam uma pretensa luta contra o tráfico de drogas para ocupar militarmente e com poderio bélico todos os países, em especial, da América Central. Mantém o bloqueio econômico a Cuba e campanhas de desmoralização política contra os governos da Venezuela, Bolívia, Argentina e Equador pelo simples fato destes países não se aliarem a sua agenda hegemonista. É preciso manter a sociedade latino-americana alerta e mobilizada contra eventuais golpes a democracia neste países como ocorreu em Honduras e Paraguai.

Da mesma forma a crise ambiental continua na ordem do dia. Apesar do saldo positivo do FSTemático 2012 em Porto Alegre e das mobilizaçoes e atividades da Cupula dos Povos na Rio+20, a Conferência Oficial significou um grande retrocessos porque não foram reafirmados os compromissos do Protocolo de Kioto e tão pouco assumidos novos compromissos. As falsas promessas de uma chamada “economia verde” ilude os governos nacionais e parte dos movimentos ambientalistas em torno de medidas que visam carrear recursos públicos para os setores privados sendo mais uma forma de acumulação capitalista, só que esta, feita em nome da proteção ambiental. Todos estes motivos nos levam a continuar na luta contra a crise capitalista e pela justiça social e ambiental.

Contexto e Perspectivas do FSM

A crise capitalista e o quadro de injustiça social e ambiental continuam na agenda do dia. Desde o seu surgimento, o FSM sempre foi um espaço da convergência de todas as organizações e movimentos sociais que acreditam ser possível e necessário um outro mundo. Neste momento da história o FSM continua sendo urgente e necessário. Precisa, no entanto, avançar nas definiçoes e açoes consensuais entre todas as organizaçoes e movimentos sociais. Ir além da reflexão e realizar mobilizações contra os abusos das transnacionais e da lógica excludente do sistema financeiro. A crise européia deve ser uma prioridade, bem como, a crítica a imposição militar como lógica nas relações políticas entre os países. Mais do que isso, o FSM deve ir além da crítica ao modelo capitalista. Deve criar condiçoes do debate sobre novas formas de construção e exercício do poder popular.
O Rio Grande do Sul através de seus movimentos sociais tem sido palco destes debates e mobilizaçoes. No momento em que as organizações e movimentos sociais se reúnem no FSM2013 em Túnis na Tunisia, tornamos pública a realização do II Fórum Social Temático, Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental a ser realizado nos dias 27 a 31 de janeiro de 2014, em Porto Alegre e Região Metropolitana.

POR ISSO, CONVOCAMOS A TODAS AS ORGANIZAÇOES E MOVIMENTOS SOCIAIS DO BRASIL, AMÉRICA LATINA E DEMAIS CONTINENTES QUE PARTICIPEM DO PROCESSO DE MOBILIZAÇAO E ORGANIZAÇÃO DE MAIS ESTE MOMENTO DE LUTA POR UM OUTRO MUNDO POSSÍVEL E NOS DISPONIBILIZAMOS A SEDIAR, EM PORTO ALEGRE, O FSM EM 2015 OU 2017.

Comitê de Organização Local

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…