Pular para o conteúdo principal

Exposição Madrid Mirada reúne fotos de 14 latino-americanos sobre a capital espanhola

Por Clarice Mendes,
Interface Comunicação

A pluralidade de olhares sobre uma mesma cidade e uma reflexão sobre a particularidade do fazer artístico por meio da fotografia. É o que o público vai encontrar na mostra Madrid Mirada, que será aberta no dia 31 de março, no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia da Fundação Clóvis Salgado. Até o dia 30 de abril, Belo Horizonte vai conferir os trabalhos de 14 fotógrafos latinoamericanos, cada um de um país distinto – incluindo o Brasil - que durante uma semana percorreram as ruas de Madrid e registraram suas impressões sobre a capital espanhola.

A mostra é uma realização da Fundação Clóvis Salgado e do Instituto Cervantes, órgão oficial do Governo da Espanha e difusor mundial da cultura hispânica. A entrada é franca.

No dia 31 ainda acontece, às 19h uma aula aberta com o mineiro Eustaquio Neves, representante do Brasil na mostra. O tema do encontro é Experimentos de autor, e a aula acontece no Teatro João Ceschiatti, no Palácio das Artes, com entrada franca.

Madrid Mirada

As imagens foram capturadas sem nenhum tipo de exigência ou limitação temática, e o resultado final são registros marcados pela diferença. Lado a lado, estão séries formadas por obras individuais, fotografias materializadas em objetos e retratos que dialogam com vídeos e sons. As técnicas utilizadas foram as mais diversas, passando pelo tradicional preto/branco, pela sépia, pelo uso da imagem numérica e chegando ao trabalho com imagens estretoscópias para gerar a sensação de espaço.

A diversidade de olhares sobre Madrid – uma cidade plural por natureza - convida o público a refletir sobre a realidade, partindo de obras que remetem tanto às marcas do passado quanto a aspectos sociais, culturais, econômicos e políticos atuais. Em um contexto em que grande parte fotografias colecionadas e exibidas nos museus surgiram para cumprir funções concretas – como a publicidade ou o jornalismo – é raro ter-se uma produção desligada de seu caráter funcional.
É aí que Madrid Mirada se destaca, uma vez que abre as portas para a experimentação e a reflexão sobre as possibilidades do trabalho fotográfico. A mostra merece destaque ainda não somente por sua qualidade artística e seu sentido, mas também pela dinâmica de trabalho em rede proporcionada durante sua realização.

O projeto, inspirado na exposição España em Roma, possui três grandes objetivos: dar visibilidade aos artistas tanto na Espanha quanto na própria América Latina; fazer com que estes fotógrafos revelem o seu olhar sobre Madrid, uma cidade que historicamente tem recebido grande número de imigrantes latinoamericanos e promover uma rede de cooperação e promoção cultural em todo o mundo.

O público poderá fazer uma radiografia da capital espanhola, e quem for ao Centro de Arte Contemporânea e Fotografia verá uma cidade na qual o passado histórico contrasta com um presente em constante transformação.

Os registros dos 14 fotógrafos, entre eles o brasileiro Eustaquio Neves, revelam lugares de uma Madrid repleta de identidades próprias, que geram os mais diversos estados de ânimo e sentimentos e que se convertem em memórias e lembranças.

Depois de aberta em Madrid, em 2008, a exposição está percorrendo cidades dos países de cada um dos 14 fotógrafos que participaram da exposição.

Serviço

Exposição Madrid Mirada
Local: Centro de Arte Contemporânea e Fotografia
Av. Afonso Pena, 737, Centro
Data: 31 de março a 30 de abril - 2010
Horário: terça a domingo: 12h às 19h / quinta-feira: 12h às 21h
Entrada franca
Informações: 31 – 3789-1600

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…