Espaço Cultural Casa do Fernando reabre com cineclube latino nesta quarta

O Instituto Imersão Latina (IMEL) reabre as atividades do Espaço Cultural Casa do Fernando, na próxima quarta-feira, 05 de maio, a partir das 18 horas, com inauguração do cineclube latino-americano e mostra fotográfica do IMEL.

O Espaço Cultural Casa do Fernando está localizado em uma casa que abriga um belo jardim “intra-muros”, na Rua Francisco Bicalho, 668, no bairro Padre Eustáquio e foi dedicada a ser espaço de cultura pelo repórter fotográfico, autor e diretor teatral Fernando Barbosa.

A reabertura do espaço será uma festa cultural: com vídeo documentário sobre o coral das lavadeiras de Almenara, que se apresentarão com o músico e compositor Carlos Farias e durante a noite serão exibidos filmes do Festival latinoamericano da Clase Obrera de Cinema e Vídeo – Felco com o tema: Mulheres e Revoluções: utopias e Barbáries.

Além da mostra de filmes, haverá uma exposição de fotografia especial dos 100 anos do dia internacional das mulheres com fotos da jornalista e presidente do IMEL, Brenda Marques, da marcha das mulheres em ato unificado, em Belo Horizonte e algumas imagens enviadas da marcha de São Paulo, entre outras históricas.
O material exibido é parte integrante do acervo do Instituto Imersão Latina e do Espaço Cultural da Casa do Fernando, que estará aberto à visitação nos dias de cine-clube e de imersões culturais. A idéia é que o local se torne uma casa de referência da diversidade cultural latino-americano.

Um festival itinerante de democratização do cinema latino

Entre as propostas do Felco está a realização coletiva das mostras de filmes em vários países latino-americanos e espaços. Este ano o Imersão Latina está coordenando as atividades do Espaço Cultural Casa do Fernando, que se torna um dos locais de intinerância do Felco.

Quatro documentários serão exibidos no dia 5 de maio:

Ruman Caycu (Peru), que trata sobre a vida do dirigente sindical camponês Saturnino Huillca, dirigido por Nora de Izcue com duração de 35 minutos.

Mulher e o Mundo do Trabalho (Brasil), sobre a desigualdade entre as mulheres e homens no universo do trabalho, tem direção de Márcia Shoo e duração de 26 minutos.

Mujeres cruzando fronteras (Costa Rica), documentário sobre mulheres indígenas e imigrantes da Nicarágua e Costa Rica em busca de melhores condições de vida; o documentário é dirigido por Ana Lúcia Faerron Angel e Mônica Quirós VillaLobos e duração de 19 minutos.

Paso a las luchadoras (Argentina), documentário sobre mulheres que lutam por sua libertação contra a opressão do dia a dia em vários aspectos da vida, a direção é de Ojo Obrero e duração de 30 minutos.

O Felco é um projeto de democratização, circulação e formação de público da produção cinematográfica latino-americana que pretende criar uma rede entre a produção e o público de cinema, com o objetivo de criar um intercâmbio de produção nos países latinos.


A proposta é promover a consolidação de sistemas alternativos de exibição tanto por questões econômicas, de identificação cultural e da mobilidade nos fluxos comunicacionais ideológicos. O projeto mapeia as produções independentes e cria um circuito de exibição alternativo tendo como referencial os espaços de Movimentos Sociais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!