Produção audiovisual latinoamericana continua em exibição no FELCO BH

Elena Varela, cineasta chilena presa e torturada pela polícia
durante a realização de um filme sobre as lutas dos Mapuches.

Confira a programação de hoje e não perca na próxima quarta-feira, dia 5, às 18 horas, a abertura do cineclube latino do Imersão Latina no Espaço Cultural Casa do Fernando (rua Francisco Bicalho, 668, bairro Padre Eustáquio!
Saiba mais na seção de ventos da nossa rede: http://imersaolatina.ning.com/


29/4 – Quinta Feira


17h – Mostra Mulheres e Revoluções

■De cierta manera (Sara Gómez – Cuba – 79 min – 1974)

Mescla de gêneros, aborda o tema da permanência do machismo nos grupos marginalizados após a vitória da Revolução Cubana.

Classificação: 16 anos – Legendas em Espanhol

■2 meses e 23 minutos (Fabio Ranzani de Paiva & Rogério Pixote – Brasil – 23 min – 2007)
Documentário sobre as cozinhas do Acampamento João Cândido.

19h – Mostra Utopia e Barbárie

■Ojos Bien abiertos (Urg/ Arg/ Fra, 2009. 110’ – documentario – Dir. Gonzalo Arijón)

O filme traz as inquietações do diretor sobre as transformações na América Latina com a chegada ao poder dos governos progresistas. Com intensa participação de Eduardo Galeano, o filme traz imagens e testemunhos filmados em diversos países que apontam para um novo despertar do continente latinoamericano.

21h – Mostra Vídeo-Ativismo

■O Vale da Resistência (Bra, 2009. 24’– documentário - Dir. Setor de Comunicação do MAB)

A história do povo quilombola, ribeirinho e caiçara do Vale do Ribeira, organizados nos MOAB (Movimento dos Ameaçados por Barragens do Vale da Ribeira), que em 2009 completam 20 anos de luta e resistência contra a construção da Barragem de Tijuco Alto, no Rio Ribeira de Iguape, entre os estados de São Paulo e Paraná.

■Guarde Nos Olhos I (Bra, 2008. 10’ – documentário - Dir. Rodrigo Valle)
As negociações e entrelinhas da destruição da Serra do Espinhaço em Conceição do Mato Dentro. As leis, os direitos humanos são desrespeitados, seres humanos expulsos de suas terras, natureza devastada, tendo exclusivamente o lucro de poucos como objetivo central do empreendimento ilegal Minas-Rio Mineroduto.

Classificação: 16 anos

■O Canto de Acauã (Bra, 2009. 14’ – documentário – Dir. Setor de Comunicação do MAB)
O filme relata problemas enfrentados pelas comunidades ribeirinhas depois da construção da Barragem de Acauã. A obra, construída para abastecimento de água, lhes tirou a terra, a moradia e o trabalho, ou seja, as condições para a vida digna. Não foi garantido nem o abastecimento de água para essas famílias, muito menos acesso à saúde e à educação. Imagens coletadas em 2002, um pouco antes de a barragem ser concluída, mostram como era a vida das comunidades, as casas, o posto de saúde, etc. O vídeo faz parte de uma campanha nacional do MAB que visa denunciar a violação dos direitos humanos por ocasião da construção de barragens em todo o país.

Classificação: 16 anos

■Felisburgo(Bra, 2009. 10’ – documentário – Dir. Brigada Audiovisual da Via Campesina)

Em 20 de novembro de 2004, o fazendeiro Adriano Chafik Luedy e seus jagunços invadiram o acampamento Terra Prometida, no município mineiro de Felisburgo, assassinaram 5 trabalhadores rurais Sem Terra e deixaram mais 20 gravemente feridos. O massacre de Felisburgo, que completa cinco anos, é considerado um retrato da atualidade da violência no campo, da impunidade da justiça e da paralisação da reforma agrária.

Classificação: 16 anos

Haverá debate com o público após a sessão.

http://redefelcominas.ning.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos