Pular para o conteúdo principal

Outros Carnavais


Por Brenda Marques

Durante esta semana destacamos o especial que Fernando Moura Peixoto, da Associação Brasileira de Imprensa escreveu e publicamos aqui neste blog durante toda esta semana que antecede o carnaval. Aliás, é até difícil marcar exatamente o começo e o final da festa no Brasil. Há os que dizem que Carnaval no Brasil é o ano inteiro e os que o ano só começa no país, depois do carnaval.

Neste ano de 2016 em especial é quando o gênero samba completa 100 anos, ritmo que se tornou uma das principais identidades do Brasil, além das mulheres, que nem sempre são mulatas como se vê nas imagens exibidas carnavalescas. E particularmente, por ser uma feminista em minhas andanças imersivas por outros países, principalmente da América Latina vejo o preconceito muitas vezes estampado de que mulher brasileira tem que saber sambar e ser mulata, mas isso é um mito. Fora outros preconceitos que não entrarei aqui ainda mais nesse momento carnavalesco de liberdade.

O fato é que essa é a festa popular que mais movimento pessoas em todo o Brasil. E o interessante é que quando a festa vai pra rua, cai na folia gente de todas as idades.

Não farei aqui um especial de carnaval de Belo Horizonte, como fez Fernando Moura Peixoto no Rio, até porque me expresso melhor na poesia, então deixo aqui um poema que fiz em alguns carnavais passados e que a artista plástica Iara Abreu ilustrou e foi exposto na ABDF em 2012 (em foto ao lado com máscara de carnaval).


O brilho das fantasias

Joguei lantejoulas na memória
Para colorir carnavais passados
Confesso que foram de calmaria
Vividos na cidade sem rebolados
Mas mesmo sem saber sambar
Admirei a leveza das sambistas
E a nobreza do samba popular
Exibida nos pés das passistas.


Brenda Mar(que)s Pena

Imersão no Carnaval

Sei que há muitos imersivos participando de bloquinhos de rua esses dias que tocam, se fantasia, se jogam por aí, mas para mim, esse é um tempo de observar a folia de longe e descansar.

A Adriana Borges, que também é jornalista e integrante do Imersão Latina tem publicado materiais interessantes no blog dela e compartilhado em nosso facebook.com/imersaolatina.com
E ela até propôs colocar um bloco do Imersão Latina, quem sabe para outros carnavais?
Quem sabe Nelsinho Pombo, Gabriel Murillo e Aloísio Lopes não se unem a essa ideia?

Partilho que um dos carnavais que mais gostei de observar foi na região de Pernambuco de puro frevo...e também confesso que gostei de aprender pandeiro e tocar em um pré-carnaval que participei em Aracaju, Sergipe, nas praias, em um calor de rachar o côco....como se diz por aqui.

E não se esqueça em ritmo de frevo

"Água, água mineral, água mineral, você vai ficar legal"....

Aproveite a folia e viva as  suas fantasias ou aproveite para descansar e tomar um fôlego para o ano que só está começando....e tem muito mais festa por aí, porque os outros carnavais no Brasil não terminam em fevereiro...




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…