Outros Carnavais: Produtora de audiovisual mineira lança documentário para retratar lado político e social que rege a volta do Carnaval de rua de BH



Por Maíra Rolim
Agenda Comunicação

Vozes anônimas no filme "BH No Ritmo da Luta", que dão voz à população da cidade, mostram que a proibição do uso livre do espaço público pela Prefeitura e a demanda reprimida do Carnaval foram alguns dos motivos que trouxeram de volta a festa às ruas da cidade


Um documentário de arrepiar, principalmente para quem vem participando da retomada do Carnaval de rua de Belo Horizonte, foi lançado nessa semana na internet pela produtora mineira Gabiroba Vídeo, sob a direção de Dandara Andrade e produção executiva de Marcelo Nunes. "BH: No Ritmo da Luta" mostra os motivos políticos por trás da retomada do Carnaval, que este ano deve atrair mais de 1,6 milhão de foliões à capital mineira.


A proibição do espaço público pela Prefeitura e Governo do Estado, e a demanda reprimida do Carnaval, foram alguns dos motivos listados pelas vozes dos entrevistados anônimos. "Em meio a embates políticos e a efervescência cultural da cidade, coletivos independentes lutam pelo direito à moradia, pelo transporte público gratuito e pelo uso livre do espaço público", explica a diretora do doc, Dandara Andrade. Os entrevistados não foram identificados para evitar a personificação do movimento. "As vozes do documentário formam as vozes do Carnaval", explica a diretora do filme.
Com 17 minutos de duração, o documentário foi filmado durante o Carnaval de 2015, com intuito de retratar o lado político da festa, mas com toda a beleza, irreverência e o lado lúdico que o Carnaval apresenta. A equipe de produção, formada por Dandara Andrade, Elder Alvarenga e a Mariana Fantini, acompanhou doze blocos de rua: Então, brilha!, Filhos de Tcha Tcha, Blocomum, Tchanzinho Zona Norte, Pena de Pavão de Krishna, Mamá na Vaca, Bloco da Praia, Pula Catrata, Alcova Libertina, Tico Tico Serra Copo, Bloco do Chapolin e Juventude Bronzeada. "Muitos blocos saem com a intenção de potencializar as lutas sociais e políticas que são cobradas das autoridades públicas ao longo do ano, como foi o caso dos Filhos de Tcha Tcha, que enfatizou a luta pelo direito à moradia em sintonia com ocupações.


A produtora Gabiroba Vídeo foi criada recentemente, após mudança de nome e objetivos, mas a equipe trabalha junta há três anos. Agora, a empresa pretende ser referência em audiovisual, oferecendo conteúdos relevantes, irreverentes e com muito engajamento cultural e educativo. "Queremos sempre estar em plataformas virtuais, onde a interação com a audiência é quase instantânea. É objetivo da produtora também a criação e desenvolvimento de web tvs, web séries e web filmes, como o BH: No Ritmo da Luta", afirma o produtor executivo Marcelo Nunes.
Segundo o produtor, o doc precisava ser online, para reafirmar a coletividade e democratização do acesso à cultura. A mensagem que a produtora quer passar com esse trabalho é ressaltar o debate sobre o espaço público. "Queremos que o filme contribua para a promoção de uma reflexão sobre a cidade que estamos construindo a partir daquela que temos hoje. Nosso desejo é que BH seja amigável, que promova a inclusão social e que seja, sobretudo, fonte de felicidade. De modo geral, nossa intenção é mostrar que uma cidade carnavalizada pode ser interessante e que BH tem uma bela oportunidade de construir uma festa rica e completamente distinta daquelas que vemos em outras cidades do Brasil", conclui Marcelo Nunes.



Ficha técnica:


Produção: Gabiroba Video
Produção executiva: Marcelo Nunes
Direção: Dandara Andrade
Produção: Dandara Andrade e Mariana Fantini
Imagens+ áudio: Dandara Andrade, Elder Alvarenga, Mariana Fantini
Montagem e edição: Mariana Fantini
Finalização: Elder Alvarenga
Agradecimentos:
Aline Pereira
Bloco Alcova Libertina
Bloco da Chapolin
Bloco Então Brilha
Bloco Filhos de Tcha Tcha
Bloco Juventude Bronzeada
Bloco Mamá na Vaca
Bloco Pena de Pavão de Krishna
Bloco Pula Catraca
Bloco Tchanzinho Zona Norte
Bloco Tico Tico
Blocomum Luiz Estrela


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina