#FSM2016 - A exposição arte como arma de denúncia - liberdade de expressão é uma das atividades culturais que podem ser conferidas no Fórum Social Temático em Porto Alegre



Texto e fotos por Eiabel Lelex 
Ciranda. net

Na noite de segunda, dia 18 de janeiro, aconteceu a abertura da exposição "a arte como arma de denúncia - liberdade de expressão", uma atividade cultural do FMML no FST-15 anos FSM. Essa exposição foi realizada no FSM Tunisia em 2015, com trabalhos de cartunistas de Porto Alegre, associados à GRAFAR, que fizeram parte de exposições "Davos Tô Forum" "O Fórum é mais embaixo" realizadas nas edições anteriores nos FSMs de Porto Alegre, do cartunista do Marrocos, Guedar que foi preso por suas charges que denunciavam e criticavam a família ral do marrocos e da Grafiteira Mira que com seu talento e sprays denuncia pelas ruas do Cairo às violências sexuais que as mulheres sofrem no mundo árabe e também como uma critica aos movimentos sociais que lotaram a praça Tahir no centro do cairo, durante à primavera árabe, mas, nada fizeram para socorrer a muher que foi estuprada por mais de 100 homens durante a manifestação popular.

Essa atividade cultural do FMML é uma conttibuição so FST-15anosFSM, para quem ainda não sabe, o Fórum Mundial de Mídia Livre nasceu no âmbito do processo dos Fóruns sociais mundiais, por meio da iniciativa de defensores da liberdade de expressão e ativistas da luta por uma outra comunicação, são militantes envolvidos e envolvidas na história de inúmeras experiências e batalhas conduzidas pela mídia independente, são blogueiros e blogueiras, jornalistas, radialistas, organizações da sociedade civil, produtores e produtoras audiovisuais, desenvolvedores e desenvolvedoras de software, hackers, pesquisadores e pesquisadoras, comunicadoras e comunicadores populares.

A diversidade de perfis e iniciativas sempre permite trocas muito ricas sobre liberdade de expressão, produção de conhecimento, desafios da internet, rádios livres e/ou comunitárias, re-apropriação da informação e da contra-informação, softwares livres e outros tantos temas. A exposição "a arte como arma de denuncia - liberdade de expressão" é uma dialogo público que se pretende sobre os limites da liberdade de expressão, essa garantia assegurada a qualquer indivíduo de se manifestar, buscar e receber ideias e informações de todos os tipos, com ou sem a intervenção de terceiros, por meio de linguagens oral, escrita, artística ou qualquer outro meio de comunicação, dentro do entendimento que quando o exercicio da liberdade de expressão vem carregado pela ofensa, pela promoção do ódio, do preconceito, da discriminação, não é liberdade de expressão, é abuso.




A revista Charlie, aquela que sofreu atentado com vítimas fatais, é um bom exemplo do quanto se aproveitam do direito da liberdade de expressão para praticar abusos e ofensas, disseminar ódio e preconceitos, não é mesmo? Como podemos aceitar que a liberdade de expressão promova o racismo, a xenofobia, o machismo, a falta de respeito entre as pessoas, os povos, as nações?

 A exposição ficará no Café Cartum até o dia 20 de janeiro, durante o dia, pois na noite do dia 20 de janeiro a exposição seguirá para o Vila do Rock, na rua Lima e Silva 867, cidade Baixa, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. A exposição é itinerante e está seguindo de bar em bar, para um bom e saudável debate sobre a liberdade de expressão e seus limites.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina