Mostra de Resistência Indígena solta um grito de basta ao genocídio aos povos indígenas e faz campanha em solidariedade aos Guarani-Kaiowá

 
17 de setembro às 16:00 a 7 de novembro às 23:59
·          
Rua da Bahia, 1148, sobreloja 74, 30160906 Belo Horizonte
·          

Ingressos disponíveis
www.vakinha.com.br


Crianças, adultos e idosos precisam URGENTEMENTE de doações de ALIMENTOS, ROUPAS, COBERTORES, REMÉDIOS (analgésicos e primeiros socorros) e produtos de HIGIENE (papel higienico e absorventes, principalmente)

************************************************************************


Os Guarani Kaiowá vêm enfrentando ataques contra suas vidas e integridade como povo há séculos. Nas últimas décadas esses ataques se intensificaram e o extermínio sistemático que os Guarani vivem hoje já é reconhecido por organizações de direitos humanos do mundo como genocídio!

Mais um capítulo dessa história sangrenta aconteceu semana passada, e no passado dia 30 de Agosto outro ataque paramilitar, a mando de grandes proprietários de terra, culminou na morte do líder Semião Fernandes Vilhalva, de 24 anos, no município de Antônio João, a 402 km de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Vivendo uma crise humanitária, comunidades onde os recentes ataques têm acontecido se encontram em situação de total vulnerabilidade.

Contribua com doações e compartilhando esse chamado!

Pontos de arrecadação em Belo Horizonte:

Espaço 4Y25
Av. Augusto de Lima, 233 - sl74
Terça a sexta: 20h às 00h
Sábado: 14h às 18h

===========

Se você quer ajudar e não há ponto de arrecadação próximo, ajude por meio da VAQUINHA online:

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/solidariedade-aos-kaiowa

Caso as doações excedam o limite do transporte até Mato Grosso do Sul, os Guarani de São Paulo serão beneficiados. São Paulo tem duas terras indígenas, uma no Jaraguá e outra em Parelheiros/Marsilac, em que algumas famílias sempre necessitam de doações.

*********
A ARPIN Sudeste (Associação de Povos Indígenas do Sudeste) lança essa campanha de solidariedade aos Guarani Kaiowá, em colaboração com a Comissão Guarani Yvyrupa - CGY, coletivo Tenonderã Ayvu e apoiadorxs da causa indígena em São Paulo do coletivo Antena Guarani.

*********

O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM OS GUARANI KAIOWÁ?

Um massacre, de ruralistas contra indígenas Guarani Kaiowa, está instaurado no Mato Grosso do Sul, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Em 29 de agosto, em um ataque na Terra Indígena Ñande Ru Marangatu, foi assassinado o indígena Semião Vilhalva. Várias pessoas ficaram feridas. Um bebê de um ano foi atingido com balas de borracha. Poucos dias depois, novos ataques com armas de fogo foram denunciados (http://bit.ly/1JUsFLp).

Assista o vídeo sobre a morte de Semião
https://www.youtube.com/watch?v=mFNrgDxAqUM

PORQUE O CONFLITO COMEÇOU?

A Terra Indígena ÑanderuMarangatu, com cerca de 9 mil hectares, teve sua demarcação homologada em março de 2005 pelo então presidente Luís Inácio Lula da Silva. Poucos meses depois, porém, o Supremo Tribunal Federal suspendeu a conquista, atendendo a uma medida liminar requerida pelos que alegam ser donos das terras . Teve início, então, uma sucessão de sofrimentos para a comunidade que hoje conta com cerca de mil indígenas. Mortes por assassinato, fome e atropelamento, já que foram despejados e confinados na beira das rodovias. Sem terras para plantar, caçar ou pescar, foram forçados a viver de doações de cestas básicas ou a se submeter a trabalhos em condições análogas a de escravidão nas fazendas e canaviais. Cansados de esperar por uma solução, os Guarani Kaiowa decidiram retomar suas terras ancestrais.

POR QUE OS GUARANI KAIOWA PRECISAM DA SUA AJUDA Além de matar e ferir os Guarani Kaiowá, os ruralistas estão impedindo a chegada de ajuda, bloqueando estradas de acesso as fazendas. Estão sem alimentos e com pessoas feridas, inclusive crianças, sem possibilidade de locomoção segura pela área. Além disso, os comerciantes da região estão sendo incentivados a não vender alimentos para pessoas com "aparência indígena".

O QUE OS GUARANI KAIOWA FIZERAM COM AS ÁREAS RETOMADAS?

Boatos foram espalhados pela internet dizendo que os Kaiowa estavam destruindo as fazendas e pretendiam destruir as cidades ao redor. O ex-deputado Pedro Pedrossian Filho chegou a postar fotos de um incêndio ocorrido por curto circuito em uma cidade do Paraguai como se fossem de um incêndio provocado pelos Guarani Kaiowa (http://bit.ly/1OA1Tv1). A equipe de imprensa Campo Grande News foi visitar a área de retomada e constatou que não havia qualquer traço de destruição. (http://bit.ly/1ieefyT)

PORQUE DEVEMOS AJUDAR OS GUARANI KAIOWA

Os Guarani Kaiowa necessitam da terra para viver com dignidade, com espaço suficiente para a prática do seu modo de viver. Hoje vivem situação precária no Mato Grosso do Sul, de conflito civil, colocando suas vidas em risco. Não podemos cruzar os braços enquanto o povo originário desta terra é exterminado. Não podemos cruzar os braços para aqueles que receberam os colonizadores de braços abertos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos