Pular para o conteúdo principal

Mostra de Resistência Indígena: Filme A Sombra de um Delírio Verde é exibido na abertura com debate

A abertura da Mostra de Cultura e Resistência Indígena foi nesta sábado, nos Espaços Ystilingue e 4Y25 Sobrelojas 35 e 74. Edíficio Maletta: Av. Augusto de Lima, 233, no centro, de Belo Horizonte - Minas Gerais. Até o dia 7 de setembro serão exibidos vários filmes que relatam o problema da temática indígena. Na foto abaixo, os participantes da mostra exibiram cartazes em solidariedade aos povos, inclusive a luta de Felipe Duran, que foi preso por fotografar as injustiças com os povos Mapuche, no Chile. A mostra, se solidariza com todos os povos e faz uma campanha de apoio aos  Guarani Kaiowá, que vive no Mato Grosso do Sul e tem sofrido com a expansão do agronegócio da cana de açúcar e também com a expansão agropecuária.
#povos indígenas resistem, por Brenda Marques.


Avelin Rosana, por Brenda Marques
O primeiro filme exibido na mostra foi "A Sombra de um Delírio Verde", O documentário escancara uma situação muito difícil de ser encarada, afinal, ninguém quer ver indígenas maltratados, mas esta é uma realidade que ocorre com muitos povos.

Durante o debate Avelin Rosana, indígena que integra o Instituto Imersão Latina disse que já foi discriminada junto com o companheiro e a filha até na hora de subir no ônibus, porque estava com traje típico. 

German Milich, de A Grande Minoria, compartilhou que não consegue ver o povo indígena sofrer, que é preciso uma ação afirmativa, para que essa situação se reverta.
Exibição do filme, German Milich com a mão nos olhos,
disse que não consegue ver este drama que ocorre com os indígenas e é preciso agir.


Confira programação completa da mostra em: 

Cobertura em fotos da abertura no facebook.com/imersaolatina:  https://www.facebook.com/media/set/?set=a.868779003235438.1073741829.101191863327493&type=1

O documentário está disponível no vímeo: 







À Sombra de um Delírio Verde from Midiateca Copyleft on Vimeo.



Na região Sul do Mato Grosso do Sul, fronteira com Paraguai, o povo indígena com a maior população no Brasil trava, quase silenciosamente, uma luta desigual pela reconquista de seu território.

Expulsos pelo contínuo processo de colonização, mais de 40 mil Guarani Kaiowá vivem hoje em menos de 1% de seu território original. Sobre suas terras encontram-se milhares de hectares de cana-de-açúcar plantados por multinacionais que, juntamente com governantes, apresentam o etanol para o mundo como o combustível “limpo” e ecologicamente correto.

Sem terra e sem floresta, os Guarani Kaiowá convivem há anos com uma epidemia de desnutrição que atinge suas crianças. Sem alternativas de subsistência, adultos e adolescentes são explorados nos canaviais em exaustivas jornadas de trabalho. Na linha de produção do combustível limpo são constantes as autuações feitas pelo Ministério Público do Trabalho que encontram nas usinas trabalho infantil e trabalho escravo.
Em meio ao delírio da febre do ouro verde (como é chamada a cana-de-açúcar), as lideranças indígenas que enfrentam o poder que se impõe muitas vezes encontram como destino a morte encomendada por fazendeiros.
À Sombra de um Delírio Verde
Tempo: 29 min
Países: Argentina, Bélgica e Brasil
Narração: Fabiana Cozza
Direção: An Baccaert, Cristiano Navarro, Nicola Mu
thedarksideofgreen-themovie.com




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…