Pular para o conteúdo principal

Livro que defende a opinião pública democrática é lançado hoje em Belo Horizonte na Casa do Jornalista



O livro “Em defesa de uma opinião pública democrática – conceitos, entraves e desafios” será lançado hoje, 27/11, às 19h, na Casa do Jornalista (Avenida Álvares Cabral, 400. Centro. Belo Horizonte).  Com o objetivo de discutir o sistema de comunicação social vigente no Brasil, a obra foi organizada pelos jornalistas Ana Paola Amorim e Venício A. de Lima e pelo cientista político Juarez Guimarães.

O evento, realizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG), recebe o apoio do Comitê Mineiro do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC-MG) e do Núcleo Mineiro do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé (Barão Minas).

Uma breve história

De acordo com os organizadores, o livro quer contribuir para aprofundar a compreensão em torno da necessidade de uma reforma democrática do sistema de mídia brasileiro e para formação de uma nova linguagem em defesa de uma opinião pública democrática no país. “Partimos da compreensão de que a ausência de uma opinião pública democrática é um dos principais impasses que afeta de maneira estrutural a construção da nossa legitimidade democrática”, afirma Ana Paola.

O livro se divide em três partes. A primeira, com um viés mais teórico e conceitual, construída sob a forma de diálogos: o primeiro, com dois filósofos que frequentam a vanguarda das tradições da cultura do republicanismo democrático, Newton Bignotto e Helton Adverse. O segundo, um diálogo como professor Leonardo Avritzer, uma liderança acadêmica na área dos estudos sobre democracia participativa.

A segunda parte busca identificar as origens históricas do déficit da opinião pública democrática, desde a chamada revolução de 30 até os dias de hoje. A terceira parte procura pensar experiências recentes na América Latina e sobre a aprovação, no Brasil, do Marco Civil da Internet.

Em sua apresentação, a obra traz o seguinte:

 “A maioria dos brasileiros, nos últimos anos, sem desertar de suas conviccções democráticas, mas em razão mesmo delas, já construiu amplamente um diagnóstico crítico do modo de funcionamento do atual sistema político no Brasil e anseia por reformas políticas. há muitas evidências de que já está se firmando a consciência de que também o sistema de comunicação social – privatizado, altamente concentrado e oligopolizado – não serve à democracia do país e precisa ser regulado a partir de princípios republicanos e pluralistas. (...) Em suas razões, argumentos, pesquisas e polêmicas, este livro se propõe a enriquecer o entendimento de que lutar pela liberdade de expressão já é, em si mesmo, uma expressão da liberdade”.
Organizadores

Ana Paola Amorim é professora do curso de jornalismo da Universidade FUMEC, doutora em Ciência Política pela UFMG e pesquisadora do Grupo de Pesquisa CERBRAS (Centro de Estudos Republicanos Brasileiros), sediado no Departamento de Ciência Política da UFMG. É coautora com Juarez Guimarães de A corrupção da opinião pública – uma defesa republicana da liberdade de expressão, Boitempo, 2013.

Juarez Guimarães é professor do Departamento de Ciência Política da UFMG, coordenador do Centro de Estudos Republicanos Brasileiros (CERBRAS) e coautor com Ana Paola Amorim de A corrupção da opinião pública – uma defesa republicana da liberdade de expressão, Boitempo, 2013.

Venício A. de Lima foi pesquisador visitante I do CNPq no Departamento de Ciência Política (2010-2013) e é pesquisador do Centro de Estudos Republicanos Brasileiros (CERBTAS), ambos da UFMG. Professor Titular de Ciência Política e Comunicação da UnB (aposentado). Coorganizador/autor com Juarez Guimarães de Liberdade de expressão: as várias faces de um desafio (Paulus, 2013), entre outros livros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…