Artista Déia Leal lança Cenário Noturno


“Minha paixão pelo cenário noturno é algo encarnado no processo de criação, construção e invenção de minhas idéias no limiar da imaginação poética e plástica.”

Déia Leal


Em entrevista ao Imersão Latina Andréia Donadon Leal fala sobre o lançamento do seu livro: Cenário Noturno, o qual terei a honra de performar no dia 04 de outubro durante o 3° Salão do Livro de Ipatinga, região do Vale do Aço, Minas Gerais, Brasil. O lançamento será no estande do CLESI (Clube de Escritores de Ipatinga).

Déia Leal (Andréia Aparecida Silva Donadon Leal) nasceu em Itabira/MG. Formada em Letras (UFOP-MG) e Pós-graduanda em Artes Visuais - Cultura & Criação (SENAC). Representou Minas Gerais no Circuito Internacional de Arte Brasileira na Tailândia, China, Áustria, Alemanha e Polônia (2007-2008). Premiada no Concurso Internacional de Artes Plásticas Compositor Antonio Gualda - 2006, na Espanha. Participou da exposição Arte dos cinco Continentes na Espanha e na Itália.

Imersão Latina - O cenário noturno seria o ideal para a poesia iluminar às idéias?

Déia Leal - Minha paixão pelo cenário noturno é algo encarnado no processo de criação, construção e invenção de minhas idéias no limiar da imaginação poética e plástica. Falar de poesia não é tarefa fácil, ao contrário de ler, pois nem sempre ela é construída pautada pela lógica da prosa e nunca vamos agradar a todos os leitores e espectadores. Cenário Noturno é um cenário de letras na escura noite do sentido, no qual navego ou me lanço nos palcos da insônia, desejo, medo, razão, loucura, passando por caminhos e trilhas num universo temporal e universal. Aqui, poeta e leitor poderão navegar por uma coleção de metonímias construídas no palco da noite adentro até chegar à última página e desencarnar o personagem num trânsito de emoções e nas páginas do papel.

Imersão Latina - Como artista plástica e poeta, as duas artes interagem em seu trabalho, ou são coisas separadas? Com qual trabalho você se identifica mais e com qual traço da sua personalidade você se depara ao pintar e ao escrever?

Déia Leal - Sou uma pessoa, tanto artista plástica quanto poeta em sintonia com minhas habilidades e limitações. Não me desintegro da plasticidade para construir um poema. Minha obra poética e minha obra plástica se interagem. Há poesias em todas as telas como há plasticidade em todos os poemas. Não tenho um trabalho específico que me identifica mais. Passo por diversos recantos poéticos e traços de minha personalidade para escrever e pintar. Gosto de aproveitar minhas diversas faces, ou seja, meus traços e inspirações metonímicas.

Imersão Latina - Viver de arte no Brasil não é fácil. Trabalhar em conjunto ajuda no processo de divulgação?

Déia Leal - Não dependo da arte para viver, mas sei que viver de arte no Brasil é uma tarefa muito difícil que requer muita paciência e persistência. O reconhecimento depende de fatores políticos, econômicos e nem sempre é pelo valor da arte. A união do trabalho em conjunto dá bons resultados quando o grupo está em sintonia e possui ideais e idéias também em grupo, tanto na produção quanto na divulgação de arte, ou melhor, da cultura. Repito o que disse em outra entrevista: “quem fica só no vem a nós” acaba naufragando na teia do egocentrismo, fase da primeira infância. Acredito e defendo veementemente a articulação, parceria e união entre as pessoas ou grupos que produzem quaisquer formas de arte no país.

Imersão Latina - Desde que o Aldravismo foi criado, quantos livros foram lançados pelo movimento?

Déia Leal - Publicamos 17 títulos, mas a tônica do Movimento aldravista não é a de lançar livros. Os livros lançados foram na sua totalidade vinculados a algum projeto. A produção aldravista tem como forma editorial a divulgação do Jornal Aldrava Cultural.

Imersão Latina - Além de preocupar-se em apoiar os escritores do grupo, vocês também desenvolvem um trabalho de formação com crianças, fale-me de como é feito este trabalho?

Déia Leal - Este trabalho é realizado com escolas que nos convidam para sermos parceiros e levar idéias e soluções para desafios enfrentados no cotidiano da instituição escolar. Construímos o projeto junto com professores e equipe pedagógica traçado no processo de incentivo a leitura de textos poéticos de autores da região. Depois que eles estudam vida e obra, vamos conversar com os alunos sobre literatura e seu processo de criação. São realizados saraus em que recitamos nossas poesias, e os alunos recitam também. Conversamos sobre questões que envolvem o fazer poético como inspiração, tematização, sentimentos, ou seja, a produção de poesia de cada um. Alguns já iniciam a produção mais efetiva de poesia, além do que se faz como tarefa escolar, fato que denota um potencial de preparação de poetas para o futuro. Quando a instituição consegue promover o contato dos alunos com poetas e artistas, este recurso funciona como uma nova peça na construção de um ensino mais eficiente e concreto, incentivando ainda mais o gosto e prazer pela leitura, consequentemente pela poesia, além de preparar os alunos para a vida social e cultural.

Imersão Latina - Fale das próximas datas e locais de lançamentos do seu livro Cenário Noturno.

Déia Leal - O livro de poesia Cenário Noturno será lançado no dia 14 de junho na Reitoria São Vicente em Santa Bárbara. Em agosto haverá outro lançamento na IV Semana da Cultura em Santa Bárbara – Minas Gerais. No 3° Salão do Livro de Ipatinga, no estande do Clube de Escritores de Ipatinga – CLESI, no dia 04 de outubro de 2008.

Imersão Latina - Você já expôs o seu trabalho artístico em outros países da América Latina? Tem contato com outros artistas latino americanos?

Déia Leal - Ainda não tive a oportunidade de expor em outros países latino-americanos, mas quando surgir terei o maior prazer. Tenho contatos com os artistas e escritores vinculados Plaza de las Letras no Chile, além de ter poesias e artigos traduzidos e publicados nesse site e no Colectivo Cultural Geopoético. Tenho contato também com o artista plástico da Argentina, Oscar Gagliano, que participou no ano de 2007 com a tela “Mar de las Pampas” (imagem ao lado) na 1ª Exposição Internacional Aldravista de Arte.


Zumbidos

Não há luz
na calada noite preta,
vozes não há...
Há sombras vagando
(câmera lenta)
s o l t a s
d e s p r e n d i d a s
insanas.

Zumbidos
Zombam meus ouvidos,
Cada vez mais fortes
ecoam
zumbidos zombando de mim
.


Poema de Déia Leal publicado em Cenário Noturno


Esta entrevista foi realizada por e-mail por Brenda Marques - Jornalista e poeta - Presidenta do Imersão Latina. Veja também o site http://www.imersaolatinalcom/.
Participe deste blog comentando e enviando informações para imersaolatina@imersaolatina.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina