Pular para o conteúdo principal

A cena urbana é tema de debate na Academia de Letras da Bahia

No próximo dia 24 de setembrim terça-feira, às 17 horas, a Academia de Letras da Bahia realizará a mesa-redonda A Poética da Cidade, sendo palestrantes Alexei Bueno, Paulo Ormindo de Azevedo e Pola Ribeiro, com mediação de Fernando da Rocha Peres. O encontro faz parte do projeto Seminários Arte e Pensamento – Transformações da Cultura no Século XXI.

Alexei Bueno, carioca, é poeta, ensaísta, crítico e tradutor, com dezenas de títulos publicados. Coordenou a publicação de obras de diversos autores brasileiros e estrangeiros para várias editoras, como a Nova Aguilar, a Nova Fronteira e a editora da Academia Brasileira de Letras. Foi curador de exposições nacionais, tais como os 150 anos de nascimento de Castro Alves, no Teatro Castro Alves, o centenário de morte de Cruz e Sousa, na Biblioteca Nacional, os centenários de morte de Machado de Assis e de Euclides da Cunha e os centenários de nascimento de Rachel de Queiroz, Dinah Silveira de Queiroz e Jorge Amado, na Academia Brasileira de Letras. Foi diretor do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro – INEPAC. É membro do PEN Clube do Brasil.

Paulo Ormindo de Azevedo é arquiteto, formado pela Universidade Federal da Bahia, na qual é professor titular. É doutor pela Universidade dos Estudos de Roma, La Sapienza, e consultor da Unesco em Preservação de Monumentos e Sítios Históricos. Foi membro do Conselho Nacional de Política Cultural e do Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. É membro do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. É autor de “Inventário de Proteção do Acervo Cultural da Bahia”, em sete volumes, dentre outras publicações. É jornalista especializado em urbanismo e arquitetura e colaborador do jornal A Tarde, no qual publica um artigo quinzenalmente. É membro da Academia de Letras da Bahia.
Pola Ribeiro é cineasta, ator, produtor, roteirista, diretor de teatro, televisão, vídeos de publicidade, documentários e shows musicais. Sua produção cinematográfica vai desde filmes em Super-8 a bitolas profissionais em curtas e longas metragens. É formado em comunicação pela Universidade Federal da Bahia. Foi professor no ensino médio e ministrou cursos de cinema na Universidade Federal da Bahia, na Universidade Católica do Salvador e na Faculdade de Tecnologia e Ciências. Foi presidente da Associação Baiana de Cinema, conselheiro da Associação Brasileira de Documentaristas e presidente da Associação Baiana de Cinema e Vídeo.  É presidente da Associação Brasileira das Emissoras Públicas e diretor-geral do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia – IRDEB.


Fernando da Rocha Peres, mediador da mesa-redonda, é poeta, ensaísta e professor, graduado em direito pela Universidade Federal da Bahia, com mestrado em história pela mesma universidade, da qual é professor emérito. É um estudioso da vida e obra de Gregório de Mattos, a quem apelidou de O Poeta Devorador. Publicou o livro “Memória de Sé”, resultante de sua pesquisa histórica e crítica da reforma urbana de Salvador empreendida no governo de José Joaquim Seabra. Foi diretor-geral da Fundação Cultural do Estado da Bahia, diretor-regional para Bahia e Sergipe do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e pró-reitor de Extensão da Universidade Federal da Bahia. É membro da Academia de Letras da Bahia.

Os Seminários Arte e Pensamento, com reflexões sobre literatura, artes e transformações da cultura, são coordenados pelos acadêmicos Luís Antonio Cajazeira Ramos e Paulo Costa Lima, sendo realizados com periodicidade mensal no auditório da ALB, na Avenida Joana Angélica, 198, no bairro de Nazaré, em Salvador, com entrada franca.
O programa faz parte das atividades do Ponto de Cultura da ALB, com apoio da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia e do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia. 

O IRDEB transmite ao vivo os encontros (www.irdeb.ba.gov.br).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…