11 olhares digitais sobre o parque são expostos no Museu Nacional da Poesia de 16 de maio a 30 de junho


Texto de Clevane Pessoa e foto de Brenda Mars*
O Museu Nacional de Poesia, dirigido por Regina Mello apresenta onze fotógrafos que têm nas meninas dos olhos, artistas e poetas que redimensionam a beleza.

Na temática proposta, a variedade de aspectos do Parque Muncipal Américo Renê Gianetti , trazem à memória o que dizia uma de minhas mestras: devemos triar tudo com olhar de passarinho. E nos mostrava como as aves sabem fazer triagens. São similares aos das crianças para as quais, tudo é novidade - é preciso que o olhar não envelheça.

E para o parque apresentar seus múltiplos tons, espaços, cores, as lentes são outros olhos nos olhares de outrem , além do próprio. Num mínimo aperto, a dimensão digital de captar sombras e luz e tons e ouro na poalha, as estáticas formas e as formas móveis, um quase conceito prévio, na busca do sabido, mas sobretudo a emoção no imprevisto que se apresenta à frente do desejo.

Os fotógrafos


Desses expositores convidados, conheço a peculiar e misteriosa produção de Eliane Velozo, que vai atrás de um tema-o algodão a levou á Africa, às raízes, ao Texas, ao Nordeste brasieliro, a partir de um sonho, a interpretação dos sinais...Sua fotografia mostra uma atmosfera cuja argumentação cabe no seu discurso bem elaborado.

A delicadeza das sombras captadas na luz absoluta, em Regina Mello, na concepção, explosões de flores, senso de equilíbrio e reinvenção de tudo.O olhar reflete a inquietação de uma alma constantemente em movimento: aviso aos que navegam mares exploratórios: nenhuma energia KI (CHI) ficará estagnada onde essa dama da criatividade que se autorecicla estiver. Visitem seu site (*)e seu blog (**).

A insistência paciente de Brenda Mars(*), que é apaixonada por latinidade , infância, social e cores quentes, para o resultado esperado. Sua musicalidade também se reflete na composição fotográfica e na riqueza de conteúdos do blog do Instituto Imersão Latina, que ela preside
e mantém-me como vice, cativa de um trabalho encantador, Brenda carrega um fardo multifacetado e levíssimo, o da Poiesis.

As tênues camadas de cuidadosa montagens na fotografia de Lucilene Peçanha, cor sob p&b, sépia, escrituras - que em breve estará em uma antologia portuguesa, a convite e lançará também seu livro solo, a intepretar a palavra poética do Chanceler do inBrasCI, Edison Pereira de Almeida. (Navegue por http://lupecanhafotografias.blogspot.com/)

Do poeta Eduardo Rennó, que comigo é um dos vinte do "Original - Livro de Artistas", outra concepção de Regina, (também Eliane Veloso), vi a mostra da mesma Galeria da Árvore, quando ele foi parceito de Marco Llobus, por sua vez, meu parceiro no projeto POIETISA. A visão poética, conceitual ou real, toca e arranha a alma, ou faz levitar.

De André Valle, Danilo Dias Paiva, Cassia Veloso, Francisco Alves, Giovana Carvalho, ainda nada de suas fotos, mas posso mensurar e cativinar que será belo, pois a Diretora do MUNAP, Regina Mello, sabe selecionar os expositores, com o "savoit faire" de quem aprendeu fotografia na Alemanha.

Não estarei na vernissage, porque estaremos na AMI, preparando o Paz e Poesia de domingo, 17, na capital mineira, mas depois irei lá deliciar-me. Felizmente, até 30 de junho, o amante da 7beleza, do Parque Municipal e da fotografia, poderá deliciar-se. Mas se você puder, não deixe de ir na abertura...

Abaixo, o release/convite:

"UM OLHAR DIGITAL SOBRE O PARQUE"

Exposição coletiva de fotografias na Galeria da Árvore
Curadoria Regina Mello
11 singulares olhares sobre o Parque em comemoração a 7ª. Semana de Museus
Fotógrafos participanes: Abreu Valle, Brenda Mars, Cassia Veloso, Danilo Dias Paiva, Eduardo Rennó, Eliane Velozo, Fernando Palma, Francisco Alves, Giovana Carvalho, Lucilene Peçanha e Regina Mello.

“Os museus são casas que guardam e apresentam sonhos, sentimentos, pensamentos e intuições que ganham corpo através de imagens, cores, sons e formas. Os museus são pontes, portas e janelas que ligam e desligam mundos, tempos, culturas e pessoas diferentes. Os museus são conceitos e práticas em metamorfose.”

Abertura dia 16/05/09, sábado, às 15 horas na Galeria da Árvore
Espaço Museu Nacional da Poesia
(Largo das Bougainvilles no Parque Municipal Américo Renê Giannetti - BH)
Visitas de terça a domingo de 6 às 18 h até 30 de junho de 2009.

Uma parceria MUNAP com a Fundação de Parques Municipais de BH

"A Galeria da Árvore é mais um importante programa do Museu Nacional da Poesia, nasceu da idéia de promover o fazer artístico, viabilizar o diálogo e intercâmbio de artistas visuais e poetas. Teve o início de suas atividades em julho de 2007, sob uma mangueira centenária localizada na Rua Machado na Floresta.

Neste ano diversos encontros foram realizados: cafés da manhã, bate papo com artistas, exposições coletivas, poesias e mostras de vídeo. Atuou de forma itinerante sob outras árvores até encontrar em fevereiro de 2008 o Largo das Bougainvilles no Parque Municipal Américo Renê Giannetti de Belo Horizonte. Local que abraçou definitivamente a idéia através de Homero Brasil e Monica Andrade.

Foi inaugurada com a exposição “A Poesia das Sombras”, fotografias e poesia de Regina Mello, Batizada como Espaço Museu Nacional da Poesia, recebeu a instalação de uma placa de vidro totalmente integrada ao jardim do largo. Neste espaço foram realizadas um total de dez exposições, individuais e coletivas, criando oportunidades de acesso às artes visuais e poesias direcionado a um público diverso que circula no parque, público convidado, além de artistas dos múltiplos extrato da sociedade e turistas.

A Galeria da Árvore funciona a céu aberto, integrada a natureza. Tem o diferencial de ser um espaço alternativo e democrático gerando, tanto ao público quanto aos artistas novos e veteranos, novas oportunidades de inclusão artística e social.Este espaço está sob a curadoria da artista visual e poeta Regina Mello, conta com o apoio cultural da Fundação de Parques Municipais de Belo Horizonte e artistas amigos do museu".

Saiba mais em http://galeriadaarvore.blogspot.com/

* Clevane Pessoa de Araújo Lopes é pesquisadora do MUNAP, Vice-Presidente do Imersão Latina, Diretora Regional do InBrasCI (Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais), Representante do Movimento Cutural aBrace.

A foto de Brenda Mars foi tirada por Fábio Miranda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina