A tacada dos 83 anos de Fidel no período dos Jogos Olímpicos

Hoje Fidel Castro faz 83 anos. O comandante cubano foi responsável por manter uma revolução singular na América Latina que resulta em bons frutos até hoje tão conhecidos que colocam Cuba em destaque nos esportes, na educação e na saúde. Nesta época de jogos olímpicos, em que o país caribenho continua a se despontar como um dos grandes medalhistas, destacamos a bela tacada deste líder cantado em canções, homenageado por escritores e tantos artistas. A este homem cuja estrelha continua a brilhar, o Instituto Imersão Latina parabeniza por mais um ano de vida!


Segue abaixo a mensagem enviada pela Associação José Martí neste dia.


FIDEL CASTRO . 83 ANOS

"Bolivar lançou uma estrêla, que junto Marti brilhou, Fidel a dignificou para andar por estas terras." Pablo Milanes

Uma das maiores lideranças populares de todos os tempos da América Latina e do mundo, Fidel é ao mesmo tempo o nosso maior teórico e o nosso maior estadista e por que não dizer o nosso maior herói vivo. É oportuno recordar uma breve história ocorrida lá pelo final da década de 1970, quando em uma de suas viagens à África, Fidel juntamente com o então presidente, secretário geral da FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique) e líder da revolução moçambicana, Samora Machel, participavam da inauguração de uma praça. Quando Fidel soube que o nome da praça se chamaria Samora Machel, ele se dirigiu a este grande revolucionário africano e lhe disse: "Em Cuba, nós homenageamos somente os nossos heróis mortos, nunca os nossos heróis vivos".

Fidel Castro entrou para a história de nossos povos e lá estará entre os seres que mais personificaram e incorporaram a idiossincrasia latino-americana, a solidariedade para com a luta de todos os oprimidos, os mais elevados valores éticos, um dos mais elevados espíritos de sacrifício pela justas causas da humanidade. Sua obra pode ser vista em todos os rincões do mundo, onde o povo cubano sob sua direção e exemplo cultivou e cultiva exemplos de uma solidariedade desinteressada. Sua obra pode ser vista em Angola onde ao lado do MPLA (Movimento Popular para a Libertação de Angola) e de seu máximo dirigente, Agostinho Neto, Cuba contribuiu para a expulsão dos mercenários e das tropas rascistas do "apartheid" sul-africano. Sua obra também pode ser vista na Etiópia, no Congo, na Argélia, na Namíbia, em El Salvador, Nicarágua, Venezuela, Bolívia e em dezenas de países onde Cuba através de diferentes meios, seja pela assistência de profissionais de saúde ou de educação, seja pela solidariedade efetiva aos processos revolucionários e de libertação nacional, contribuiu de forma decisiva no processo de luta antimperialista.

Sua maior obra é a Revolução Cubana que há quase 50 anos enfrenta um duro bloqueio econômico e agressão da maior potência imperialista. Apesar de todas as dificuldades, Cuba segue sendo um exemplo de coerência de princípios e de construção em seu território de um regime econômico e político baseado nos princípios socialistas.


O povo cubano e os povos do mundo comemoram neste 13 de agosto de 2008, o 83º aniversário do eterno Comandante.

"A História me absorverá"

Fidel Alejandro Castro Ruz, nasceu em 1926, em Biran,
província de Holguin. Desde muito jovem se interessa por história e por política se identificando com as lutas dos nossos povos. Em 1945 ingressa na Universidade de Havana, onde cursou direito e se formou em 1949.

Em 1947 participa de uma expedição, que acaba fracassando, que visava derrubar o ditador Rafael Trjullo, então mandatário a serviço e apoiado pelos Estados Unidos e que esteve no poder por décadas através da ingerência inclusive militar do imperialismo.

Em 1948, quando é assassinado o líder liberal Eliecer Gaitan, então forte candidato à presidência da Colômbia e uma das razões para eclosão da guerra civil que assola este país irmão até os dias em que vivemos, Fidel encontrava-se em Bogotá, participando do Congresso Latino-Americano de Estudantes.

Após formado vincula-se ao Partido do Povo Cubano liderado por Eduardo Chibás. Em 10 de março de 1952, Fulgêncio Batista lidera um golpe de estado e assume o poder a mando do imperialismo, instituindo um regime baseado no terror e violência. Em 26 de julho de 1953, Fidel juntamente com mais 150 companheiros participa do assalto ao Quartel de Moncada, em Santiago de Cuba, que significaria uma nova etapa na luta do povo cubano pela sua verdadeira independência. Este evento é ainda hoje comemorado pelo povo cubano com um marco fundamental de sua história. A tentativa se frustra e acaba com a prisão dos revolucionários, entre eles Fidel, que ficaria preso por mais de um ano. O julgamento de Fidel se tornou célebre por sua defesa feita por ele mesmo e que foi editada e distribuída por seus companheiros que estavam em liberdade e que ficou conhecida sob o título de "A História me Absolverá". Ali está o programa da revolução cubana.

Mais tarde, Fidel funda o M-26 (Movimento 26 de Julho), um dos três agrupamentos que lutaram até a derrocada da ditadura de Batista. No exílio no México, Fidel e outros companheiros continuam a organizar a luta, culminando com a expedição do Iate Granma, em fins de novembro de 1956, que sai do porto mexicano de Tuxpan para Cuba. Em primeiro de janeiro de 1959 triunfa a Revolução Cubana. Em abril de 1961, Fidel lidera pessoalmente as tropas que combatem e rechaçam a invasão dos mercenários armados, financiados e treinados pela CIA e pelo governo dos Estados Unidos, em Playa Giron.

A história de Cuba, da América Latina e do mundo contemporâneo se confunde em grande parte com a vida de Fidel. Ao largo destes quase 50 anos da Revolução Cubana, ele foi um protagonista em nossa história. Esteve sempre ao lado daqueles que levaram as mais justas bandeiras, daqueles que defenderam os mais elevados valores morais, daqueles que mantiveram acesa a chama da luta por um mundo melhor e voltado para satisfazer as necessidades de todos os nossos povos.

Fidel está no mesmo rol dos homens raros que como Augusto César Sandino, Augustin Farabundo Marti, Carlos Fonseca, e tantos outros, que devotaram sua vida à luta pela verdadeira libertação dos nossos povos. Muitos deles, como Fidel, ainda estão entre nós.

Hoje, Fidel assumiu novo papel na batalha. Não mais está à frente das responsabilidades de estado. Lúcido como sempre, ele segue com seu exemplo e palavras orientando e contribuindo com luta dos povos de todo o mundo. E
speramos comemorar muitos aniversários de Fidel com ele ainda em vida.

"Quando o extraordinário se transforma em cotidiano, isto é revolução!" Che Guevara


Associação Cultural José Martí -MG
"Com todos e para o bem de todos"
R. Carijós,136 sala 904 Centro - Belo Horizonte-MG/ Brasil
Fone:(31) 88059701

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina