Pular para o conteúdo principal

Solidariedade ao povo de Santa Catarina!


O impacto da chuva que há quase dois meses atormenta a população de Santa Catarina é avassalador. Mais de 1 milhão e quinhentas mil pessoas foram afetadas. O último boletim da Defesa Civil catarinense registra oficialmente 97 mortos.

A Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ se solidariza às vítimas da tragédia, entre elas jornalistas, e conclama os Sindicatos e a categoria a colaborarem no apoio ao povo catarinense.

Quedas de barreiras, enchentes, destruição de casas, veículos, pontes e perda de vidas foram registradas em quase todas as regiões de Santa Catarina. Com o solo já encharcado por semanas seguidas, a intensificação da chuva nos últimos 5 dias provocou um quadro catastrófico em diversos municípios.

O trânsito por via terrestre com o Rio Grande do Sul e com algumas regiões do Paraná foi interrompido. A chuva diminuiu e o nível dos rios está baixando. Ainda assim, 8 municípios, com 97.680 pessoas, estavam isolados. Em diversos outros, há racionamento de água e, por medida de segurança, em alguns o fornecimento de energia elétrica foi cortado.

Um imenso contingente de policiais, bombeiros, profissionais de saúde, funcionários públicos e voluntários está mobilizado no socorro às vítimas e na desobstrução de vias. A principal preocupação, no entanto, é em assegurar abrigo, alimentação e cuidados com a saúde das pessoas afetadas pela enchente.

Veículos de imprensa e dezenas de jornalistas, especialmente na região do Vale do Itajaí, também sofrem com os danos da tragédia.

“Neste momento, o mais importante é socorrer e apoiar as vítimas do desastre. Mas é preciso também apurar as reais responsabilidades e questionar as autoridades sobre o que poderiam, ou melhor, deveriam ter feito para evitar ou minimizar as conseqüências. Como cidadãos e, especialmente jornalistas, temos a obrigação de questionare não aceitar que a culpa seja exclusivamente atribuída à natureza”.

Sérgio Murillo de Andrade, presidente da FENAJ.

"Amigos, minha querida cidade de Blumenau/SC E DIVERSAS OUTRAS estão arrasadas pela avassaladora enchente. Em todo o estado, mais de 100 pessoas estão mortas e muitas desaparecidas. Em função desta catástrofe. 1,5 milhão de pessoas diretamente atingidas! Mais de 8 cidades estão sitiadas pelas águas, sem comunicação ou acesso, em situação de calamidade pública. Diversas outras estão em situação de risco e estado de alerta com a defesa civil. Sua ajuda será de grande valia para nossos irmãos que estão em situação tão difícil. Os que puderem ajudar, peço que contribuam no SOS Blumenau doando mantimentos, roupas, cobertores, fraldas, absorventes femininos, toalhas, etc."

Tchello d'Barros - escritor, artista visual e viajante.


"Poetas del Mundo, mostrem que a solidariedade é maior do que os estragos da chuva."

Delasnieve Daspet, Embaixadora para o Brasil de Poetas del Mundo, Sub-Secretaria para as Américas



Santa Catarina Chora

Águas transbordas
Linda Santa Catarina
Vítim(a)mada
Quem transformou em catástrofe
Sua beleza de praias, serras e rio(SOS)?

Quantas vidas será preciso sacrificar
pelo aquecimento da "economia" planetária
que os homens não aprenderam a freiar
E nessa corrida suicida destroem coisas belas?

Minha Santa Catarina!
Será possível vê-la novamente linda,
Livrar-te-ás desta triste sina?

A solidadiedade que se ergue
enchuga um pouco das águas
Que as enchentes transbordaram
Mas não alivia a dor dos familiares
daqueles que em ti morreram.

Quantos maremotos, furacões e enchentes
Quantas Nova Orleans, Cubas e Santa Catarinas
Serão necessárias para a (des)humanidade
Sentir a dor desta ferida que ela mesmo escancarou?

Brenda Marques Pena Jornalista, Poeta del Mundo, Presidente do Imersão Latina - IMEL

Como ajudar?

A Defesa Civil de Santa Catarina divulgou o número de contas correntes para receber as doações de ajuda aos desabrigados. Os interessados em contribuir podem depositar qualquer quantia nas contas:

Banco do Brasil: Agência 3582-3, Conta Corrente 80.000-7
Besc: Agência 068-0, Conta Corrente 80.000-0
Bradesco: Agência 0348-4, Conta Corrente 160.000-1.

O nome da pessoa jurídica é Fundo Estadual da Defesa Civil,
CNPJ - 04.426.883/0001-57.

O dinheiro arrecadado será utilizado para compra de mantimentos que serão distribuídos entre os moradores das cidades atingidas.

A Defesa Civil faz algumas recomendações para quem for fazer doações:
Os alimentos devem estar dentro do prazo de validade e com a embalagem intacta. De preferência, devem ser não-perecíveis;

- Colchões e roupas de cama devem estar em bom estado de conservação, limpos e prontos para utilização;
- Roupas e calçados também devem estar limpos e em condições de uso;
- Sapatos devem estar amarrados entre si (pé direito com esquerdo) e a numeração deve ser marcada do lado externo com caneta;
- Utensílios domésticos devem estar funcionando e bem conservados;
- Quem quiser doar alimentos ou roupas nas cidades atingidas deve procurar a prefeitura dos municípios;

- Para outras cidades do país uma opção é procurar a Defesa Civil que pode informar quais entidades públicas e privadas estão promovendo campanhas para arrecadar ajuda em sua região;


As Secretarias Regionais (SDR's) da região do Alto Vale do Itajaí (Blumenau, Brusque, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville e Timbó) montaram bases de distribuição e arrecadação das doações às pessoas afetadas pelas fortes chuvas do último final de semana.

Consulte locais para entrega no tel:
(48) 4009 9886 ou nas SDR's.
As empresas ou pessoas de outros estados que tiverem interesse em fazer doações também devem ligar para:
(48) 4009 9886.

Os catarinenses devem ligar para 199 ou para a SDR mais próxima do seu município.

São Paulo (capital)
O Centro Shivapoint Yoga em São Paulo está arrecadando roupas, sapatos, cobertores e outros materiais para as vítimas das enchentes de Santa Catarina. Doações podem ser feitas na Rua Antonio Carlos,690 - 2º andar, próximo ao metrô Consolação.
O telefone é (0x11-3159-5106).

Mais informações: http://www.desastre.sc.gov.br/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…