A arte do chileno Bororo estará em exposição a partir desta terça na capital brasileira

A CAIXA Cultural recebe em Brasília um dos expoentes da arte contemporânea chilena. Carlos Maturana, ou Bororo, como é mais conhecido, chega à Capital Federal para expor, de 07 de outubro a 09 de novembro, na galeria Vitrine, a mostra Pinturas por Metro. Abertura para convidados e imprensa dia 06 de outubro, das 19h às 22h, com presença do artista.

Bororo surgiu na cena artística chilena em meados dos anos de 1980. Era o retorno da pintura ao seu posto de honra, logo após seu óbito ter sido solenemente decretado pelas manifestações emergentes dos anos sessenta e setenta como a arte conceitual, as instalações e performances. Bororo representa mais do que nenhum outro artista chileno contemporâneo, a reafirmação e a renovação da linguagem pictórica.

Para Brasília, o artista traz cerca de 30 pinturas, algumas prontas e outras que serão confeccionadas aqui, antes da abertura. A expressividade do traço de Bororo transita por diversas estepes. Conservando o abstracionismo, a figuração tem se manifestado robusta sob a influência explícita dos quadrinhos e grafite de rua. Uma recente liberdade na criação e o emprego de uma iconografia doméstica muito pessoal caracterizam o atual momento de Bororo.

A pintura do artista não é reivindicatória ou dominada por intenções teóricas. Bororo busca, na realidade, apreender com sua arte toda a realidade, tangível ou intangível. É o anseio que, no ato da criação, ordena sempre que pinte mais alto, tentando conquistar o espaço, desvendar os segredos da luz e domar cada elemento da criação visual na inexplicável magia das inter-relações.

Pinturas por Metro oferece aos visitantes oficinas diárias de pintura com a arte-educadora Maria Célia. As inscrições podem ser feitas gratuitamente pelo telefone: 3206-9448.

Carlos Maturana (Bororo)

Carlos Maturana, ou Bororo, nasceu em Santiago do Chile em 1953. Estudou na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Chile em 1972, onde ingressou como licenciado em Artes Plásticas. Entre 1975 e 1981, Bororo trabalhou como professor ajudante e professor da Cátedra de Pintura, Desenho e Croquis na Faculdade de Artes da Universidade do Chile.

Seu trabalho docente continuou no Instituto de Arte e Cultura do Colégio Médico do Chile (1985) e no Ateliê de Pintura "La Brocha" da Plaza Multo Gil de Castro (1983/1984). Foi bolsista pela Sociedade de Amigos da Arte (1977 a 1981), pela Universidade do Chile (1979 e 1980) e pela Galeria de Arte Atual. Participou de várias exposições individuais e coletivas no Chile e no exterior como nas Galerias Bebilaqua de La Mazza, na Itália em 1994; Arte Atual, em Santiago no ano de 1995; Arte Espaço, em Santiago no ano de 2007; além de ter desenvolvido algumas obras na estação de Metrô de Santiago.

Suas obras fazem parte de coleções públicas no Museu Nacional de Belas Artes, no Museu de Arte Moderna de Chiloe, Museu Tertúlia de Colômbia, do Instituto Ítalo Latino-Americano, em Roma, do Ministério das Relações Exteriores do Chile, entre outras entidades.

Bororo ainda fez jus a vários prêmios por conta de sua arte, entre eles o Prêmio do Concurso “Banco Security Pacific”; o prêmio do concurso “A Árvore na Pintura Chilena”; e, o prêmio da VII Bienal Internacional de Arte de Valparaíso (Chile).

Serviço:

Exposição Pinturas por Metro, de Bororo
Local: CAIXA Cultural - Galeria Vitrine
Abertura para convidados e imprensa: 06 de outubro de 2008, das 19h às 22h
Visitação: de 07 de outubro a 09 de novembro de 2008
Horário de visitação: diariamente, das 9h às 21h

Agendamento de visitas monitoradas: de terça-feira a sexta-feira, de 9h às 18h, pelo telefone 3206-9448.

Agendamento de Oficinas: 3206-9752
Endereço: SBS Q. 4, Lt. 3/4 - Térreo, anexo ao edifício Matriz da Caixa
Classificação etária: livre
Entrada Gratuita

Assessoria de Imprensa
Caixa Econômica Federal
CAIXA Cultural- Brasília/ DF
(61) 3206-8030 / 9895
(61) 9202-2144 / 8101- 9902
imprensa.cultura@caixa.gov.br
www.caixa.gov.br/caixacultural

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina