Pular para o conteúdo principal

BHZouk celebra a dança de salão

Festa aberta ao público na Praça da Savassi e 700 aulas gratuitas de dança de salão fazem parte da programação do evento, que contará com professores renomados

BHZouk — evento tradicional que faz parte do calendário cultural de Belo Horizonte — celebra sua 11ª edição de 3 a 7 de junho, em diversas partes da cidade. Entre as atrações, a participação de coreógrafos renomados, aulas gratuitas de diversos ritmos e níveis da dança de salão, além de festas.

O projeto é idealizado pela “Rodrigo Delano – Universidade de Dança de Salão”, dirigida pelo coreógrafo Rodrigo Delano - um dos precursores do Zouk em Belo Horizonte e representante brasileiro em eventos internacionais. Segundo ele, que foi um dos convidados a integrar o time de professores do quadro “Dança dos Famosos”, do programa Domingão do Faustão, em 2009, o 11º BHZouk deve movimentar cerca de cinco mil pessoas, entre os workshops e os eventos paralelos.

700 vagas de graça

BHZouk oferece 700 vagas gratuitas de dança de salão. São sete aulas para quem quiser aprender ritmos como Samba no pé, Samba a dois, Zouk, Bolero, Forró, Hip Hop e Zumba. Os cursos serão realizados no domingo, 7/06, na Rodrigo Delano – Universidade de Dança de Salão (rua João Lúcio Brandão, 207, Prado).

Durante o BHZouk, haverá outros workshops pagos, ministrados por professores nacionais e internacionais, em diversas modalidades. No total, incluindo os gratuitos, serão 70 workshops com monitores e especialistas nesta arte, que irão interagir com o público e mostrar aos belo-horizontinos ritmos novos como o Kizomba, West Coast Swing, Hip Hop e Bachata, por exemplo. Todos realizados no mesmo endereço.

Festa na Praça da Savassi aberta ao público

E no dia 7/06, domingo, o BHZouk levará para a Praça da Savassi, entre 14h e 18hum evento gratuito e aberto ao público. Na programação, aulão de diversos ritmos, como o sertanejo, com os tricampeões mundiais Bell e Euler; Zouk, com Rodrigo Delano; Axé, com Fabiano Cássio, de Conselheiro Lafaiete; 100 facilitadores; tablado a céu aberto; shows e monitores para ensinar quem quiser aprender a dançar.

Festas paralelas

Paralelamente, acontecerão festas noturnas. De quarta-feira, 3/06, a domingo, 7/06, cada evento terá um tema diferente, além de decoração hollywoodiana e uma equipe de monitores que estarão à disposição dos participantes para ensinar todos os ritmos.

Na quarta-feira, 3/06, festa do curso de profissionais, a partir de 21hs.

Na quinta-feira, (4/06), será realizada a festa de abertura “Noite de Branco”, a partir de 21 horas, com dois ambientes. Um apenas de Zouk e outro ambiente mesclando ritmos como Salsa e West Coast Swing.

Na sexta-feira, 5/06, acontece a “Festa de Gala”, às 21h, com pistas simultâneas de Zouk, Tango e ritmos variados, com decoração e mostra coreográfica dos professores do congresso.

No sábado, 6/06, uma festa realizada no ano passado e que fez muito sucesso, volta nesta 11ª edição do congresso. É a “Festa Verde e Amarelo”, com mostra coreográfica e festa com dois ambientes. Na sala 1, Zouk total. Na sala 2, Tango com cortina de ritmos variados. A festa começa às 21h.

A Festa Tropical encerra o 11º BHZouk com Zouk, Forró e Samba, no Do Prado Bar Dançante, entre 18h e meia noite.

Informações e Inscrições

O Congresso BHZouk oferece inúmeros pacotes para o público. Do “11º BH Zouk pacote completo”, que inclui cinco festas, churrasco, três dias de aula e o domingo na rua até o workshop avulso. São 19 pacotes e preços diferenciados para todos os públicos. As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas.

Todas as atividades acontecem na sede da academia, localizada na rua João Lúcio Brandão, 207 – Prado. Informações pelo site www.bhZouk.com.br ou pelos telefones (31) 3292.7976 e 8746.1396.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…