Projeto Reconstruir completa 8 anos com festa e busca uma sede própria para continuar as atividades


Por Delor Junior
Assessor de Projetos do Reconstruir

O Centro de Desenvolvimento Comunitário Vila Leonina, conhecido popularmente por seu nome fantasia Projeto Reconstruir, completará nesta próxima quinta-feira dia 08/08/2013 8 (oito) anos de serviços de atendimento a crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social do Aglomerado Morro das Pedras em BH/MG.

O trabalho iniciado em 2005 na rua Onze de Setembro da Vila Leonina , surgiu de uma oportunidade apontada por um grupo de sócios que ao desistirem de um empreendimento imobiliário, um prédio de 4 (quatro) andares em que havia iniciado as obras, mas devido a violência e o tráfico local adiaram a continuidade da edificação. Nesse contexto o prédio não acabado foi invadido, e tornou-se um ponto de consumo e venda de entorpecentes. Um dos sócios conheciam o trabalho de socialização, espiritualidade e acolhimento de marginalizados desenvolvido pela Comunidade Cristã Caverna de Adulão e nos lançou o desafio de ocuparmos o local que se tornou conhecido inicialmente como Projeto do Predinho.

Em 2007 o Projeto do Predinho tornou-se uma associação que hoje é conhecida como Projeto Reconstruir, após quase 06 (seis) anos na rua Onze de Setembro, com a chegada das obras do PAC e o Programa Vila Viva da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, os sócios do empreendimento decidiram que era hora de retomarem as obras. Foi dada uma preferência de compra para o Projeto Reconstruir, valor estimado em R$ 400.000,00, isto em 2010,  infelizmente mesmo com a campanha intitulada Um Novo Reconstruir não levantamos nem um terço do valor e precisamos deixar o local.

Em 2012 fomos acolhidos pela Igreja Presbiteriana Aliança na Vila Antena, também no Aglomerado Morro das Pedras, de um trabalho que foi iniciado com um grupo de 5 (cinco) crianças e três voluntários, atualmente oferecemos 72 vagas para crianças e adolescentes de 05 a 15 anos e 11 meses, temos 7 funcionários em regime de CLT, e contamos com mais de 20 voluntários, tudo isso sem nenhum tipo de convênio público ou empresa privada. O Projeto Reconstruir tem sido mantido por campanhas de doação de pessoa física através do Apadrinhamento que representa um valor de R$ 55,00 mensais, bazar comunitário bimestral, doações voluntárias, e um auxilio mensal da Comunidade Cristã Caverna de Adulão.

O ano de 2013 em seu segundo semestre no reservou mais uma surpresa, o atual parceiro cedente do espaço físico nos solicitou o espaço, e teremos que deixá-lo em um período máximo de 1 (um) ano, e segundo informações da Gerência Regional Oeste, não existe nenhum equipamento público que nos possa ser cedido para funcionamento do Projeto Reconstruir. Dentro do Aglomerado Morro das Pedras, as áreas que não são tidas como privadas, são áreas irregulares (invasão), ou foram adquiridas pela URBEL para execução do Programa Vila Viva.

O Projeto Reconstruir tem motivos diversos para comemorar nestes 08 (oito) anos de serviços no Aglomerado Morro das Pedras, até aqui temos conseguido manter nossa equipe, refeições, materiais pedagógicos, recreativos, esportivos, administrativas, dentre outros, mas agora precisamos de novos atores sociais envolvidos nesta rede, nesta causa. O Reconstruir precisa de uma cede para atender a demanda atual e também ampliar seu público, queremos partilhar essa causa, e agregar gente, empresas, associações e o poder público para que não venhamos comemorar nosso último aniversário, e estas crianças e adolescentes fiquem desassistidos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina