Shows autorais comemoram em Belo Horizonte o dia das mulheres

Banda Cáustica por Carol Salgado
Nesta quinta-feira, 7 de março, o Projeto Interferência realizará uma noite de shows de bandas autorais para homenagear a música feita por mulheres. O projeto será realizado na Amsterdam Pub e contará com a participação das bandas Cáustica, Onze a Uma e Sujeito a Reboque. Esta é a primeira edição do projeto que tem como objetivo difundir músicas inéditas de bandas autorais e levar ao público a oportunidade de conhecer novos artistas.

A banda feminina Cáustica contará com a participação especial da compositora Deh Mussulini para homenagear as mulheres com canções autorais que trazem à tona as angústias e experiências do universo feminino. A banda Cáustica encontrou novas identidades com a união de Brenda Mars (bateria), Polly Alves (baixo) e Pâmilla Vilas Boas (guitarra e voz), produzindo um som próprio, misto de diferentes bagagens e das outras experiências de suas integrantes. É o que se pode conferir, por exemplo, em seus shows, marcados por performances poéticas.

Cáustica

Banda Cáustica por Carol Salgado
A banda Cáustica decidiu se corromper… Por que não? Quebrar as barreiras de estilos e trafegar num universo estético sem fronteiras, mesclando música com outras artes: literatura, artes cênicas e artes visuais. Em seu primeiro registro do trabalho, Musas e Medusas, o trio feminino aposta no lugar fronteiriço entre o rock e outras vertentes musicais. 
Com quatro canções autorais, o EP, lançado em 2011, surgiu da pesquisa sonora e poética que procura trazer à tona angústias e experiências do universo feminino, com a sutileza típica das mulheres cáusticas.

Sem medo das contradições, as Cáusticas corroem o jazz, o pop e o rock, em busca de uma sonoridade única e de uma dissolução capaz de contagiar e estarrecer o público ao mesmo tempo. Com esse trabalho, a Cáustica passou afigurar em segundo lugar na lista dos dez mais tocados do portal Toque no Brasil, ao lado de bandas como Macaco Bong e Black Drawing Chalks.

Em seu histórico de apresentações, a Cáustica teve boas experiências no último ano, dentre as quais merecem destaque: Domina Music Festival, em São Paulo,abrindo o show da banda Matanza; Festival Let’s GO, em Belo Horizonte; Money Festival, na Lapa, Rio de Janeiro e a edição belo-horizontina do festival internacional Lady Fest, ao lado de bandas femininas como Dominatrix. Além disso, a banda tocou ainda nas três noites Fora do Eixo, em Porto Seguro, inaugurando nova rota de festivais para a música independente, e em Itabirito, no Grito Rock, o maior festival integrado da América Latina, realizado em 9 países.

Onze a Uma

A banda Onze a Uma surgiu em janeiro de 2005, quando foi gravado o CD Demo, de acordo com as condições financeiras da banda naquele momento, em um pequenoestúdio no bairro Calafate, em Belo Horizonte. A princípio, tal CD era apenas para a apreciação da própria banda e alguns familiares, mas, apenas naqueleano, mais de 300 cópias foram vendidas nas cidades de Mariana e Ouro Preto.

O CD “Ensaio de Verão” contém sete músicas, todas de autoria de Daniel Zanforlim (compositor e vocalista). As músicas foram escolhidas, entre dezenas de outras composições próprias, sendo que todas contam histórias reais vividas pelos integrantes da banda.

Ao longo do ano de 2005, participamos de alguns shows com boa repercussão em jornais locais. A banda foi premiada no Festival de Inverno em Mariana / Ouro Preto com uma gravação. Esta ocorreu em um estúdio profissional em Belo Horizonte, com a participação do produtor musical e professor de música da UEMG, Fábio Neri.
O ano de 2011 foi de retomada da banda que voltou mais madura, engordou seuantigo rock magro e toca agora novas e velhas músicas inéditas. O grupo tem uma nova estrada, a web, o trabalho nos estúdios tem canal direto com o site que promete muito material para quem curte o som da Onze a Uma.

Sujeito a Reboque

Surgiu assim meio sem querer. Amigos empolgados por alguns acordes trocados no violão que passam a se autonomear banda. Guilherme Marchi (guitarra), Luis Bar (voz e violão) e Gabriel Lazarotti (baixo). No início, o cover de bandas famosas rende bons shows e participações bens sucedidas em festivais por Minas Gerais. Com isso, a necessidade de uma nova formação. Vini Ribeiro assume as baquetas e Felipe Moysés passa a comandar os teclados. Nova pegada, estilo mais apurado. Mais algum tempo de caminhada e a última modificação. Felipe Fleury, baixo e vocais. Agora estava completo.

Faltava, porém, um propósito. Algo que pudesse conciliar a fé que unia os integrantes e o amor pela música. Decidem então colocar na ponta do lápis as experiências e o significado trazido pelo Cara. Nasceu o Sujeito a Reboque. Um Rock despretensioso, com o objetivo de agradar aos ouvidos de Deus com boa música e palavras sinceras.

Projeto Interferência:
- Bandas: Cáustica, Onze a Uma e Sujeito a Reboque
- Ingresso: 15,00 (online) | 20,00 (na portaria, sujeito a lotação)
- Data: 7 de março (quinta-feira)
- Horário: 20h
- Local: Amsterdam Pub
- Endereço: Rua dos Inconfidentes, 1141 – Savassi – BH


COMPRE SEU INGRESSO ONLINE (COM DESCONTO)! ACESSE:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina