A artista plástica Andréa Greco expõe Uma Passagem Precolombiana na Passarela Cultural da Biblioteca Pública até 28 de março




"Espero mostrar com minha obra como o inconsciente humano é constantemente visitante de nossas mentes, não importando-se com o local onde estamos, mas sim mostrando que está presente em nossas histórias de vida."

ANDRÉA GRECO

“Uma passagem Pré-colombiana” mostra através das pinturas, uma visão ampla sobre a arte, a cultura e a sociedade Inca, Maia e Asteca. A proposta da artista é mostrar os vários ramos da arte destes ricos povos, demonstrando que as formas, cores, movimentos, tipos de escritas, entre outros tantos itens são atuais em sua existência e que, mesmo havendo sido aniquilados pelos espanhóis, estas civilizações sobreviveram e construíram toda uma história atual dos países neles contidos.

Fazendo uso desta vasta gama de riqueza material venho trabalhando há muitos anos em pesquisas históricas, iconográficas, colorimétricas e outros tantos estudos para poder fazer surgir obras que contém, de uma maneira surreal, mas contemporânea, a minha visão de tais grandiosos impérios.

Cada obra tem em sua criação um estudo prévio, sempre com a intenção de demonstrar artisticamente uma visão sobre temas que resistiram a tantos séculos de história. Cada obra tem um fundo filosófico das civilizações, fazendo sempre com que espectador  entre na pintura e participe à sua maneira.

As cores utilizadas são fiéis àquelas colorimetrias locais, cores vivas com significado, ora de sangue, ora de vida, como também cores que possuem simbologia religiosa. Mesclado a essa palheta, interfiro nas obras com a inserção de cores neutras, como por exemplo, o preto e o branco, com a intenção de demonstrar os contrários sociais e principalmente religiosos de toda uma cultura. Através do xadrez podemos perceber uma movimentação cultural onde os extremos convivem juntos formando uma totalidade perfeitamente harmoniosa.

Em algumas obras sobreponho materiais como: grades, correntes, espelhos e máscaras fazendo uma junção entre objetos com significados locais e até mesmo relacionando-os com a conquista espanhola e a dizimação populacional. Cada objeto, figura e cor contidas nas minhas obras possuem significado histórico e não decorativos.

O grande objetivo do trabalho é o de mostrar como a cultura pré-colombiana pode oferecer um vasto tipo de trabalho artístico, dependendo apenas, de cada artista o interpretar da história. Nela o antigo e o contemporâneo convivem em plena harmonia abordando temas atuais que não passam dos mesmos temas épicos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina