Bienal Internacional de Artes de São Paulo chega a sua 30ª edição com o tema: a iminência das poéticas



A 30ª Bienal de São Paulo manifesta-se a partir da noção de constelação. Cada componente da Bienal foi pensado para funcionar constelarmente. A expografia da mostra permite agrupamentos de obras de cada artista e potenciais relacionamentos entre eles. As normas que regem a identidade visual também respondem à ideia de constelação através da escolha tipográfica que acolhe todas as famílias de tipos monoespacejados e em 30 cartazes, fruto do processo coletivo organizado para conceber essa identidade. Finalmente, o material educativo da mostra propõe um repertório de construção constelar de artistas participantes da Bienal e de outras referências, como escritores, pintores e filósofos.

Além do Catálogo de constelações e do Guia da exposição, a 30ª Bienal traz uma coleção composta por títulos inéditos em português de autores-chaves para a elaboração conceitual da mostra, realizada em parceria com a editora Hedra. Essa escolha constelar responde ao convite curatorial de que as obras de arte nunca significam de maneira autônoma: elas sempre são relacionais. Por isso, a articulação entre a Bienal e a cidade de São Paulo tem especial relevância nas diversas parcerias com instituições paulistanas, com a exibição de obras em lugares emblemáticos do espaço urbano. Além da exposição principal no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, A iminência das poéticas também estará presente no Museu da Cidade (Casa Modernista, Casa do Bandeirante e Capela do Morumbi), no MASP, no Museu de Arte Brasileira da FAAP (MAB-FAAP) e no Instituto Tomie Ohtake, bem como em intervenções pela cidade – na avenida Paulista, na Estação da Luz e em diversos eventos e intervenções pelas ruas de São Paulo.

Segundo Heitor Martins, Presidente da Fundação Bienal São Paulo, a ideia de permanente interlocução é o ponto de partida da 30ª Bienal – A iminência das poéticas. "Procurando instaurar-se como uma plataforma de encontro para a diversidade das poéticas, a exposição pretende ser um evento capaz de produzir constelações de obras e artistas que conversam entre si. De um intenso diálogo entre curadoria e artistas convidados temos uma bienal composta por um grande número de obras inéditas ou comissionadas especialmente para exposição."



Programação da semana 

11 a 16 de setembro
Conversa de artista com professores

14  de setembro 20 horas
O artista e pesquisador Pedro França conversa com jovens, professores e interessados sobre a arte e a vida contemporânea. Leitura de poesia para crianças e famílias

15 de setembro
11 horas
Aos sábados pela manhã crianças, pais e famílias serão convidadas a conhecer e se divertir pelo universo da poesia. Ateliê com Rui Proença. Ateliê com artista convidado - Giuliano Tierno e Ângela Castelo Branco

15 horas
Aos sábados, sempre às 15h, artistas convidados pelo Educativo Bienal oferecerão oficinas aos visitantes da mostra nos Ateliês da 30ª. Giuliano Tierno e Ângela Castelo Branco promovem o Ateliê Literário Móvel, o segundo de uma série de quatro encontros, entre 08 e 29 de setembro. Anna Ostoya e Liz Magic Laser apresentam Imprint Nº 2 no MIS 16 set 19h Filme que mostra o registro das atividades empreendidas pelas artistas, que unem noções do processo artístico, busca pelo lazer e comportamentos neuróticos. Entrando em espaços comerciais, Laser e Ostoya procuram rearticular a conduta do consumidor.


Mais informações e programação completa em: http://www.bienal.org.br


SERVIÇO:

TRIGÉSIMA BIENAL DE SÃO PAULO 
A IMINÊNCIA DAS POÉTICAS
7 DE SETEMBRO A 9 DE DEZEMBRO 2012
PARQUE DO IBIRAPUERA, PAVILHÃO DA BIENAL SÃO PAULO
ENTRADA GRATUITA
 HORÁRIO DE VISITAÇÃO TER, QUI, SÁB, DOM E FERIADOS DAS 9 ÀS 19H -
ENTRADA ATÉ 18H QUA E SEX DAS 9 ÀS 22H - ENTRADA ATÉ 21H

FECHADA ÀS SEGUNDAS

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina