Acampamento Terra Livre: mais de mil indígenas se reúnem unificando as lutas do Brasil indígena


BRASÍLIA SERÁ PALCO DO ACAMPAMENTO TERRA LIVRE, QUE REUNIRÁ MAIS DE 1,5 MIL INDÍGENAS 

Mobilização acontece em meio a uma das maiores ofensivas contra os direitos indígenas dos últimos anos. O Acampamento Terra Livre (ATL) vai reunir mais de 1,5 mil lideranças indígenas de todo o país, em Brasília, de 24 a 28 de abril, em Brasília. A maior mobilização de povos indígenas do país será realizada em meio a uma grande ofensiva contra seus direitos, articulada nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Neste ano, o mote do acampamento é “Unificar as lutas em defesa do Brasil indígena ” e seu objetivo é “ reunir em grande assembleia lideranças dos povos e organizações indígenas de todas as regiões do Brasil para discutir e se posicionar sobre a violação dos direitos constitucionais e originários dos povos indígenas e das políticas anti-indígenas do Estado brasileiro ”.

 O ATL é um importante momento de articulação entre lideranças de todo país e de incidência política do movimento indígena. Estão na pauta da mobilização, entre outros temas, a paralisação das demarcações indígenas; o enfraquecimento das instituições e políticas públicas indigenistas; as iniciativas legislativas anti-indígenas que tramitam no Congresso; a tese do “Marco Temporal”, pela qual só devem ser consideradas Terras Indígenas as áreas que estavam de posse de comunidades indígenas na data de promulgação da Constituição (5/10/1988); os empreendimentos que impactam negativamente os territórios indígenas; a precarização da saúde e educação indígenas diferenciadas; a negação do acesso à Justiça e a criminalização das lideranças indígenas. Durante os três dias do ATL acontecerão marchas, atos públicos, audiências com autoridades dos três poderes, debates, palestras, grupos de discussão e atividades culturais.

O ATL 2017 é promovido pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) com apoio de organizações indígenas, indigenistas, da sociedade civil e movimentos sociais parceiros. A APIB vai disponibilizar condições de logística, infraestrutura e alimentação no acampamento. O transporte das delegações a Brasília fica a cargo das redes e organizações indígenas regionais e locais e de seus parceiros. A recepção está marcada para 24 de abril, a partir do horário do jantar. O encerramento das atividades será realizado na noite de 27 de abril. O retorno das delegações a seus estados deve ocorrer no dia 28. Para outras informações, entre em contato com a representação da Apib em Brasília: apibbsb@gmail.com (61) 3034-5548 /

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB é uma instância de aglutinação e referência nacional do movimento indígena no Brasil. A APIB foi criada pelo Acampamento Terra Livre (ATL) de 2005, a mobilização nacional que é realizado todo ano, a partir de 2004, para tornar visível a situação dos direitos indígenas e reivindicar do Estado brasileiro o atendimento das demandas e reivindicações dos povos indígenas. Fazem parte da APIB as seguintes organizações indígenas regionais: Articulação dos Povos Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (APOINME), Articulação dos Povos Indígenas do Pantanal e Região (ARPIPAN), Articulação dos Povos Indígenas do Sudeste (ARPINSUDESTE), Articulação dos Povos Indígenas do Sul (ARPINSUL), Grande Assembléia do povo Guarani (ATY GUASU) e Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB).


Acampamento Terra Livre 2017
Unificar as lutas em defesa do Brasil Indígena
Quando: 24 a 28 de abril de 2017
Onde: Brasília.

A convocatória do ATL 2017 está disponível em:http://apib.redelivre.org.br/2017/03/27/convocatoria-acampamento-terra-livre-2017 

Comentários

lutas pelo territórios, pela saúde indígena, pela educação diferenciada e direitos indígenas sempre foram minhas meta desde infância até os dias atuais, pois quando vejo os meus parentes através de jornais reunindo aquela multidão sangue do meu sangue no sol na chuva, com fome, vendo essas cenas, me sinto nervoso, mais com uma fúria que inicia de unha do pé até os fios dos meus cabelos vendo os donos da terras reivindicando pela suas próprias terras, ninguém pode impedir a demarcação da terra para nós, se cada governo está para fortalecer, que façam, mas não para fechar o caminho diante do donos da terra. se o governo quer iniciar a luta contra nós, que iniciam, pois estou disposto a dar minha própria vida pela minha família... queria está lá junto com vocês parentes nessa mobilização indígena, pois estou muito longe de vocês, talvez um dia chegarei lá, formar aqueles grupos de cobra grande (yewaegü) diante do nosso povo como lideranças..,por enquanto estou estudando na Universidade Federal do Amazonas no interior do amazonas, município de tabatinga que faz limite com a colombia.. sou bacharelado em antropologia.. #força parentes, não desistam

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina