Pular para o conteúdo principal

Lima Trindade promove leituras públicas de romance inédito para estudantes da Bahia

Alunos de escolas estaduais de Salvador e Itaparica terão a oportunidade de conhecer de perto o trabalho do escritor, contemplado em 2012 com bolsa de Criação Literária da SecultBA

Um romancista lendo seus textos em sala de aula para estudantes da rede pública. Esta é a proposta que será realizada este mês pelo escritor Lima Trindade, ao apresentar trechos do seu romance inédito, A cidade e os nomes, para alunos de quatro colégios estaduais: Pedro Calmon (Armação), José Tobias Neto (Costa Azul), Thales de Azevedo (Stiep) e João Ubaldo Ribeiro (Itaparica). A iniciativa acontece entre os dias 16 e 18 de outubro e faz parte do projeto contemplado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia com uma bolsa de criação literária.

Para Lima Trindade a expectativa é das mais positivas, já que ele considera o evento como uma oportunidade de colaborar na formação de novos leitores. “Se há um lugar onde os intelectuais e artistas deveriam atuar mais diretamente, esse é a sala de aula. É muito complicado quando a educação formal não é devidamente valorizada, quando o artista ignora que nosso maior problema (e solução) ainda reside na questão da qualidade do ensino”, afirma.


Em pleno processo de criação, o autor destaca ainda a possibilidade de identificação da geração atual com a temática do romance. A cidade e os nomes vai examinar o passado recente do país a partir da perspectiva de três jovens personagens: uma mulher nordestina, um estudante carioca e o filho de um empresário goiano. A ação se dará entre 1958 e 1960, tendo como pano de fundo a inauguração de Brasília e marcando o nascimento de uma juventude rebelde que mais tarde resistiria à Ditadura Militar. “Gostaria muito de perceber que, no decorrer da leitura, alguns ouvintes se emocionaram, puderam se ver na pele das minhas personagens. Para mim, esse é o sentido mais nobre da arte: comunicar emoções”, explica o romancista.

Trajetória | Lima Trindade nasceu em Brasília e está radicado em Salvador desde 2002. É contista, romancista e editor da revista eletrônica Verbo 21.  Publicou os livros Todo o sol mais o Espírito Santo (2005), Supermercado da Solidão (2005) e Corações blues e serpentinas (2007). Ao ter seu nome incluído na antologia Geração Zero Zero: fricções em rede (2011), o escritor e crítico literário Nelson de Oliveira o considerou como um dos autores nacionais mais relevantes surgidos a partir do ano 2000. Participou ainda das coletâneas As baianas, com o conto A piriguete de Ondina, e 82 - uma copa, quinze histórias, com o conto Toda a arte do futebol.

O QUE
Leituras públicas do romance “A cidade e os nomes” com Lima Trindade.

ONDE | QUANDO
Biblioteca Juracy Magalhães Jr. (Itaparica), 16 de outubro (quarta), 14h.
Colégio Estadual Pedro Calmon, 17 de outubro (quinta), 9h.
Biblioteca Thales de Azevedo, 17 de outubro (quinta), 14h.
Colégio Estadual José Tobias Neto, 18 de outubro (sexta), 9h.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…