Povos de Fronteira: Contra Eje Cultural Extremo Norte


ARTIGAS TAMBÉM É URUGUAI


"Contra Eje Cultural Extremo Norte / Artigas - Bella Unión"

Por Germán Milich  - A Imensa Minoria


Há muito tempo que venho trabalhando este projeto num município no interior do interior de Uruguai, fundado por Guaranis e chamado Bella Unión (Bela União) no departamento de Artigas. De aproximadamente 20.000 habitantes está situada ao extremo norte do Uruguai, tendo fronteira com Brasil e Argentina no encontro dos rios Cuareim e Uruguai. Imagino este empreendimento como a procura de um território de paz intercultural.

Sempre chamou minha atenção esse município, mas nunca tinha ido lá, até que um dia em 2013 um amigo Fernando Godoy, de uma localidade próxima chamada Colonia Palma me contatou por facebook e disse que em Bella Unión havia uma Murga* chamada No Hay Tu Talle e que necessitavam ajuda com o repertório desse ano. Aí começou meu vínculo ajudei um pouco com as letras em 2013, a murga ganhou o 1 º premio do concurso e no outro ano janeiro de 2014 eu já estava lá contratado como diretor de cena, arranjador e dramaturgo. 

Não foi um carnaval alegre, pois dias antes do concurso aconteceu o trágico acidente que levou a vida de três pessoas dentre elas uma criança e que evidenciou o centralismo montevideano e uma falta total de políticas públicas em relação ao departamento de Artigas, já que as vítimas ainda com vida tiveram que ser transportadas em circunstâncias precárias inviabilizando dessa forma uma assistência adequada que teria como resultado perdas irreparáveis. Todos morremos um pouco nesse dia. Conquistamos o bi-campeonato, porem com um gosto amargo.

Em maio do mesmo ano voltei para ministrar um curso de gestão a No Hay Tu Talle e foi nessas noites de fumaça e vinho, à beira do majestoso rio Uruguai que começamos entre el Milonga, Facundo, Liber Adriana e Francisco Sarasua (atual encargado de Cultura do município) a sonhar esta ideia de virar o jogo e começar a demandar mais e melhores políticas culturais. 

Bella Unión tem o potencial para ser um pólo cultural criando um movimento econômico que pode gerar empregos responsáveis e conscientes vinculados à cultura. Não é só gerar emprego, a ideia é gerar empregos de qualidade. Que um artista possa trabalhar formalmente e ser incluído economicamente na dinâmica social e que desse próprio movimento surjam benefícios e oportunidades para outras áreas.

Depois de muita conversa e planejamento via internet Francisco Sarasua e eu resolvemos levar adiante o projeto. A ideia é uma terceira residência em Bella Unión de 20 dias para formar um grupo de 12 gestores tentando ter uma representação dos municípios vizinhos do interior de Artigas. Tomás Gomensoro, Baltasasr Brum, Mones Quintela, Colonia Palma, Pueblo Sequeira, dentre outros.  A capacitação terá como eixo a organização de um evento chamado “Contra Eixo Cultural Extremo Norte” para discutir Gestão Cultural como ativador da economia, a ser realizado no 2° semestre de 2016. Nesta instância prática, que será planejar dito evento, serão passadas as informações e conhecimentos sobre gestão cultural, produção e captação de recursos.

Fico feliz por poder realizar esta parceria entre A Imensa Minoria e Imersão Latina para falar um pouco de mi país, da minha terra e levar o nome de Artigas e Bella Unión além das fronteiras. Convido a todos se juntar nessa viagem d’A Imersa Minoria que irei relatando dia a dia. Utilizo uma forma pedagógica baseada em Paulo Freire onde sempre procuro partir das características locais por isso Bella Unión é tão interessante por seu ascendência indígena, por seus dois rios, por suas três fronteiras, por seu extremo norte e pelos bellaunionenses, seres rebeldes e indômitos, pois utopias de este tamanho necessitam de bastante rebeldia.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina