Pular para o conteúdo principal

A educação na América Latina e os 100 anos da Reforma de Córdoba


Jornadas Bolivarianas  - XIII Edição: A educação na América Latina e os 100 anos da Reforma de Córdoba

Conferências, debates e apresentação de trabalhos acontecem de 15 a 17 de maio, na UFSC 

Quando em 1918 os estudantes da Universidade de Córdoba se levantaram em rebelião exigindo uma nova forma de ser universidade iniciava um novo tempo no ensino superior da América Latina.

O protagonismo estudantil colocou abaixo velhas práticas, rompeu com o colonialismo cultural, e inaugurou o tempo da autonomia, do governo compartilhado, da extensão universitária e de democracia dentro das instituições. Foi um movimento que mudou não apenas o ensino universitário na Argentina, mas incendiou e influenciou toda a América Latina. 
Para celebrar os 100 anos desse momento estelar na vida universitária latino-americana as Jornadas Boliviarianas de 2017 dedicarão os debates ao tema Educação. Afinal, se no distante 1918 os estudantes se levantaram pelo direito de dirigir junto com professores e técnicos a vida universitária, hoje seguimos vivendo outros levantes dos estudantes, universitários e secundaristas, na batalha por uma educação de qualidade e democrática. Isso significa que as bandeiras de Córdoba ainda seguem sendo bandeiras, algumas delas ainda longe de se concretizar. 

No Brasil, as reformas no ensino médio e as propostas do governo federal para a universidade tornam esse tema um ponto chave no debate nacional. Para tanto o IELA se vale da história e parte da reforma de Córdoba de 1918 que reivindicou desde as entranhas da universidade de extração colonial, bandeiras da autonomia universitária, o fim da cátedra, a renovação dos métodos pedagógicos, o fim do colonialismo mental e o fim da escolástica como norma no ensino. 

As jornadas Bolivarianas acontecem de 15 a 17 de maio, na UFSC, conformam o evento mais importante do IELA e ao longo desses anos já discutiram os temas mais candentes de nuestra América. 

Programação 
As inscrições são gratuitas e feitas no local do evento
Dia 15 de maio - Manhã (Auditório da Reitoria) 
8:30 – Conferência
"A reforma universitária do século XXI: Legados e batalhas atuais por uma Universidade Nuestroamericana emancipadora"
Plabo Imen  - (Argentina)


Tarde (Auditório da Reitoria)

14:30 às 18:00 - Apresentação de Trabalhos
"Notas sobre o pensamento pedagógico libertador latino-americano", de Efendy Emiliano Maldonado bravo; 
"A bússola mariateguiana e a questão indígena", de Carmen Susana Tornquist; 
"A decolonialidade na educação em direitos: a reforma do ensino médio brasileiro", de Robson Oliveira Gonçalves, e Vinícius Silva Bonfim; 
"Outro olhar sobre a América Latina nas aulas de História da educação básica", de Rafael Gonçalves de Oliveira, e Alana Cristina Teixeira Chico. 

Noite (Auditório da Reitoria)
 
18:30 – Conferência
"A falência da social-democracia e o sonho da democracia universitária de Nuestra América"
Heinz Dieterich (México)

Dia 16 de maio - Manhã (Auditório da Reitoria)

09:00 – Conferência
"A Reforma de Córdoba nas raízes da educação cubana"
Pedro Martínez (Cuba)


Tarde (Auditório da Reitoria)
 
14:30 às 18:00 - Apresentação de Trabalhos 
"Subordinação e dependência: A lumpen-burguesia e o desenvolvimento capitalista no Brasil", de Raphael Lobo Duarte Batista Teixeira;
"Das sombras à luz: as Universidades Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Nacional de Córdoba (UNC) sob as ditaduras civil-militares brasileira (1964-1985) e argentina (1976-1983)", de Gabriel Roberto Dauer; 
"Representações, diferenciações e processos de identidades das sociedades ameríndias brasileiras", de Maira Damasceno; 
"Os novos fluxos migratórios em Santa Catarina, educação e direitos humanos", de Janaina Santos.

Noite (Auditório da Reitoria) 
18:30 – Conferências
"Em busca da interculturalização da Educação Superior na América Latina"
Luis Fernando Sarango Macas (Equador)
"Ciência rebelde ou modernização reflexa: O dilema latino-americano em Ciência e Tecnologia"
Diógenes Breda (Campinas/Brasil)

Dia 17 de maio - Manhã (Auditório da Reitoria)

09:00 – Conferências
"A educação bolivarana inclusiva e de qualidade na Venezuela"
Trina Manrique (Venezuela)
"Dilemas atuais da educação brasileira"
Ivo Tonet (UFAL)

Tarde (Auditório da Reitoria)
14:30 às 18:00
Espaço livre

Noite (Auditório da Reitoria)

18:30 – Conferências
"A Universidade Necessária como superação da Universidade Operacional e da Universidade Inclusiva"
Nildo Domingos Ouriques (IELA-UFSC)
"Educação e Revolução no ISEB: a experiência dos Cadernos do Povo Brasileiro (1962-64)"
Angélica Lovatto (UNESP)
  
Mais informações na página do IELA: www.iela.ufsc.br 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tropofonia do IMEL ganha prêmio Roquette Pinto de rádio-arte!

"É com muita satisfação que a ARPUB e o MinC informam que o projeto Tropofonia: um laboratório de sons e sentidos, proposto pelo Instituto Imersão Latina - IMEL foi selecionado para receber o Prêmio Roqutette Pinto de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos, na categoria rádio-arte/experimentação sonora."

COMISSÃO DE SELEÇÃO DO I PRÊMIO ROQUETTE- PINTO
ARPUB - Associação das Rádios Públicas do Brasil

"Nós do Instituto Imersão Latina (IMEL) e do Tropofonia recebemos esta notícia hoje e agradecemos a todos que participaram desse processo de construção coletiva do projeto até aqui. O programa Tropofonia agora será disponibilizado para circular pelas rádios comunitárias e educativas de todo o Brasil. Que essa onda se perpetue por todos os ares da América Latina!"
Brenda Marques Pena, Presidente do Instituto Imersão Latina

A Comissão de Seleção do I Concurso de Fomento à Produção de Programas Radiofônicos - Prêmio Roquette-Pinto foi composta pelos membros:

Patrick Torqua…

Os Grandes projetos na Amazônia e seus impactos

“Realizar uma grande aliança dos quem tem modos de vida ligados a terra, as águas e as florestas, povos indígenas,comunidades de camponeses e ribeirinhos e demais entidades sociais que sofrem os impactos dos grandes projetos na Amazônia e de quem se solidariza com eles, para estabelecer a resistência a diversos níveis, local, regional, nacional einternacional”, é o que sugere uma das conclusões do Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos. As conclusões do Seminário foram publicadas no site do Cimi no último dia 6.


Eis a carta final do encontro:

Nós, membros de Movimentos Sociais e Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, Peruana e Boliviana e do Conselho Missionário Indigenista – Cimi, reunidos no “Seminário Internacional de Grandes Projetos na Amazônia e seus Impactos”, nos dias 2, 3 e 4 de junho de 2010, na cidade de Rio Branco, estado do Acre,

Considerando:

1) Que os grandes projetos da IIRSA(Iniciativa para Integração da Infra-Estrutura da América …

De volta à Pangéia: um dos contos DESnaturalizados de Brenda Mar(que)s Pena do Imersão Latina

De volta à Pangéia* Quem sabe a arte console hoje todos os corações solitários carentes da real beleza muda dos materiais e cores dos sonhos, como intocáveis desejos do querer. Esse era o último apelo de Péricles: viver um deja vu de emoções. Assim as lembranças tomavam o chá das onze com ele todos os dias, como se cada gota tivesse o gosto de um amigo ou amante distante. E foi assim todos os finais de noite, até que a terra se transformou novamente na Pangeia, quando não havia essa divisão entre continentes. E no meio desse emaranhado de terras Péricles viajou no tempo, provocando a erupção de mil vulcões até que a lavra do amor queimou para sempre os corpos…. Brenda Mar(que)s Pena durante lançamento de DESnaturalizados. Foto: Marja Marques *Miniconto do meu livro (DES)naturalizados. Exemplares à venda por R$ 15,00 no Coletivo Contorno (avenida do Contorno 4640 – sala 701, bairro Funcionários) e na Casa Leopoldina (rua Leopoldina 357, bairro Santo Antônio). Peça também pelo e-mail: co…